31 – A Morte é a Única Saída (“31”)

Se o rockeiro Rob Zombie queria provar que também podia ser um bom cineasta, ele deveria ter parado em “Rejeitados Pelo Diabo” um dos grandes filmes trash de terror dirigido pelo próprio em 2005, continuação de sua estréia como diretor no muito bom “A Casa dos Mil Corpos” em 2003.

Aliás, já começa que esse “31” é meio que um derivado mais chato do próprio “A Casa dos Mil Corpos”. Conduzido como sempre por sua esposa, Sheri Moon Zombie, ela e sua trupe de chatos que aparentemente são hippies e não fazem nada da vida, estão cruzando as estradas americanas, provavelmente no início dos anos 80, e são pegos por uma gangue de psicopatas que os colocam para um jogo chamado 31. Não entendi até agora o nome. Enfim, os prisioneiros ficam dentro de um grande galpão e são aterrorizados por psicopatas vestidos de palhaço e tem que escapar com vida.

A produção contém uma série de erros em cascata, a começar pelas vítimas que, ao contrário do normal, são pessoas que não despertam nenhuma simpatia ao espectador. Sabe aquele personagem chato com caráter questionável dentro do grupo que sempre morre no início de um filme slasher? Clonaram esse tipo de personagem e fizeram o grupo todo ser assim. Então as mortes acabam sendo indiferentes para o público.

Pegando o ganho das mortes, perto do que se vê em produções que levam sangue e tripas a sério, chegam a ser risíveis com poucas exceções. É porque nos delírios do diretor, ele tentou fazer com que o filme estreasse nos cinemas, mas precisou cortar as cenas mais pesadas para uma censura mais branda. O tiro saiu pela culatra, pois o filme estreou em pouquíssimas salas e foi um fracasso. Ou seja, se deixasse do jeito que tava, na pior das hipóteses não teria feito diferença de público ou lucro.

Financiado via crowdfunding, a empreitada ainda sofre com algumas escolhas estéticas do Zombie, mexendo em pequenas coisas como se fizesse diferença, tipo ao paralisar a tela em momentos de tensão ou uma edição onde o próximo quadro empurra o presente para o lado, o que surte efeito zero na narrativa.

Todos esses erros permeiam um roteiro aparentemente sem propósito, nada original que empurra um vilão inexpressivo na marra e com um desfecho que tenta ser cult, mas decepciona. Faça como as vítimas e fuja você também.

Ficha Técnica

Elenco:
Sheri Moon Zombie
Jeff Daniel Phillips
Lawrence Hilton-Jacobs
Meg Foster
Kevin Jackson
Malcolm McDowell
Jane Carr
Judy Geeson
Richard Brake
Pancho Moler
David Ury
Lew Temple
Torsten Voges
Elizabeth Daily

Direção:
Rob Zombie

Produção:
Mike Elliott
Andy Gould
Matthew Perniciaro
Michael Sherman
Eddie Vaisman
Rob Zombie

Fotografia:
David Daniel

Trilha Sonora:
Chris Harris
John 5
Bob Marlette
Rob Zombie

 

2 Comments

Leave us a comment

  • Clayton
    on

    Não. Não chega a ser um desastre total, mas em comparações com outras produções do gênero e com nomes bem menos conhecidos, decepciona, pois é fato que Rob Zombie quando não leva o público para o cinema, pelo menos leva ao download do filme.
    Todo mundo no automático, não consegui decorar o nome de nenhum, a linguagem vulgar não ajuda em nada a criar empatia com algum dos personagens, vilões caricatos, donos do “jogo” que sequer possuem todas as regras definidas, mortes estilo “sharknado” e Sheri Moon Zombie longe de ser sexy. Era para ser um Jogos Mortais? Não foi. Era para ser um Cubo? Não foi, Então por que achei que não foi um desastre total? Os diálogos de tão sujos chegam a ser cômicos, e um em especial não vou esquecer por simplesmente não existir “Como todos dizem, no inferno todo mundo gosta de pipoca”. Economize o pacote de dados.

  • Clayton
    on

    Ah. Esqueci de explicar. O nome do jogo (e filme) é 31 devido a data do Halloween (31/10).

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑