A Guerra dos Sexos (“Battle of the Sexes”)

O melhor de uma trama é quando ela se aprofunda sem se desviar de seu cerne. É justamente o que acontece no novo filme da dupla Jonathan Dayton e Valerie Faris dos ótimos “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” e “Pequena Miss Sunshine”.

Baseado numa história real, o filme se passa na década de 70, onde as mulheres ainda eram negligenciadas no esporte ganhando bem menos que os atletas masculinos (e ainda o são). É quando a tenista número 1 do mundo Billie Jean King (Emma Stone de “La La Land”) se revolta contra a liga americana e abre sua própria liga com a sua empresária e as demais tenistas. Nesse meio tempo, um ex-campeão de Wimblendon, Bobby Riggs (Steve Carell de “Café Society”), um apostador viciado, já com 55 anos, desafia King para uma partida de tênis com transmissão mundial para provar que os homens são superiores.

O mais interessante do roteiro é que ele não se detem nisso: na verdade, desde o início o espectador entende que o tal desafio é mais uma tentativa de autopromoção de Riggs por conta de seu ímpeto de apostar e pela sua insegurança em seu casamento. E até mesmo King entende isso, apesar do desafio para todo o resto dos EUA ser emblemático naquela década para a luta de igualdade das mulheres. Mas por trás disso há toda uma questão de auto-aceitação e da chance de se renunciar a continuar sendo quem não é. E talvez toda a essência da história pode ser resumida logo em seu final numa belíssima frase dita pelo personal stylist da equipe feminina, por sinal vivido pelo sempre ótimo Alan Cumming (“A Tempestade”).

A direção prova mais uma vez que sabe dar a dinâmica impecável na narrativa, o que é essencial num drama, gênero por definição mais contemplativo. Inclusive enfocando o universo particular dos dois pseudo antagonistas, passamos a nos afeiçoar a ambos. Sim, o roteiro e a atuação dos protagonistas, permite que o espectador tenha afinidade até mesmo com o auto-intitulado porco chauvinista Bobby. E por mais que os temas sejam bastante delicados, como igualdade de sexos e homossexualidade, há uma improvável leveza que alivia sem tirar a importância da narrativa.

Do lado técnico, o design de produção, cenografia e maquiagem faz um trabalho enriquecedor e detalhista na reconstrução da época e na própria composição dos personagens, como podemos ver nos créditos finais quando são mostradas as fotos reais dos envolvidos (ok, a Emma Stone é muito mais bonita, mas enfim).

Guerra dos Sexos” é um delicioso drama e tem a peculiaridade de emocionar sem deprimir e dar esperança mesmo quando 40 anos depois ainda nos deparamos com uma parcela grande sexismo, racismo, homofobia e intolerância nesse mundo.

Ficha Técnica

Elenco:
Emma Stone
Steve Carell
Andrea Riseborough
Natalie Morales
Sarah Silverman
Bill Pullman
Alan Cumming
Elisabeth Shue
Eric Christian Olsen
Fred Armisen
Martha MacIsaac
Lauren Kline
Mickey Sumner
Fidan Manashirova
Jessica McNamee

Direção:
Jonathan Dayton
Valerie Faris

Produção:
Danny Boyle
Christian Colson
Robert Graf

Fotografia:
Linus Sandgren

Trilha Sonora:
Nicholas Britell

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑