Abutres (“Carancho”, Argentina, 2010)

Genre :

E o cinema argentino mostra mais uma vez que ao invés de querer copiar sua programação de TV (alô Globo?) ou reclamarem que pra se fazer um filme de qualidade necessita de milhões de dólares, preferem apostar na competência e apuro técnico de seus realizadores.

A história de “Abutres” não tem nada de épico: Sosa (Ricardo Darín do também sensacional “O Segredo de Seus Olhos“) é um agente de seguros cuja função é ser um dos abutres do título, isto é, percorre acidentes para que os feridos ou a família de quem morreu possam ser indenizados e com isso ele e a empresa para a qual trabalha levarem uma polpuda comissão. Já cansado dessa vida angustiante, conhece a paramédica Lujan (a bela Martina Gusman) e se apaixona a primeira vista. Com o relacionamento rolando, ele decide largar a empresa e trabalhar por conta própria. O que ele não sabe é que essa companhia tem um esquema de corrupção tão forte e não vai deixar barato a sua saída.

Os personagens muito bem interpretados já têm um sentido poético muito forte que transpassa a tela sendo identificado direto pelo expectador: Ele, consciente de seus hediondos atos explorando o sofrimento alheio e tentando achar no amor a sua redenção; Ela sem um sentido na vida, deprimida e dependente de analgésicos para continuar com sua profissão.

Como se não bastasse a visceral direção de Pablo Trapero consegue fazer a obra transcender do que poderia ser um romance dramático para uma tragédia quase shakespeareiana. Desde de a pesada fotografia urbana que, rumo ao final se torna quase claustrofóbica, passando por uma praticamente construída apenas pelos pesados sons da cidade, até suas longas tomadas que angustiam o espectador até provocar uma tensão quase insuportável, em especial nos últimos minutos que funcionam quase como um soco no estômago.

Abutres” é nada menos que um dos melhores filmes dramáticos de 2010 e obrigatório para qualquer um que goste de um cinema de qualidade.

[rating:5]

Ficha Técnica

Elenco:
Ricardo Darín
Martina Gusman
Carlos Weber
José Luis Arias
Loren Acuña
Gabriel Almirón
José Manuel Espeche

Direção:
Pablo Trapero

Produção:
Pablo Trapero

Fotografia:
Julián Apezteguia

 

1 Comment

Leave us a comment

  • Juliano
    on

    Ah CineCríticas, muito obrigado! (desculpe, não encontrei a assinatura na crítica para tornar o agradecimento mais pessoal).
    Novamente, graças a este ótimo trabalho assisti a um ótimo filme que nunca nem sequer iria ouvir falar.

    A fotografia do filme é muito interessante, deixa tudo mais real, as tremidas na camera por vez ou outra chamam a atenção.
    O filme é brutal.

    Gosto de filmes, mas quando começo a assistir acabo dormindo e tenho que continuar a assistir outro dia.
    Comecei a assistir Abutres as 23:00 deitado na cama após um dia de trabalho e também após a academia. Tinha certeza que ia dormir.
    Mas nem pause eu consegui colocar no filme, assisti ele inteiro e após o final (que realmente é um soco no estômago) fiquei olhando os créditos subirem ainda sem reação.

    Este é um filme muito bem feito.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑