As Aventuras de Paddington 2 (“Paddington 2”)

Alguns filmes ingleses parecem como patrimônio britânico, daqueles em que vários atores nativos querem participar. A franquia Paddington é um deles. Com o antecessor sendo um dos maiores sucessos de crítica e bilheteria do Reino unido, a trupe inteira volta para uma produção que, pasmem, é tão boa quanto, o que é raro para uma continuação.

Paddington e sua família humana vivem em harmonia com o bairro. O ursinho então descobre um livro antigo que quer comprar de presente para sua tia ursa. O que ele não sabe é que o ator charlatão Phoenix (Hugh Grant de “Simplesmente Amor”) está de olho no livro, pois ele contém pistas para um tesouro. Então ele rouba o livro, incrimina Paddington e nosso herói precisa sair da prisão e provar sua inocência.

Paul King volta à direção do filme e o que mais cativa é que ele preserva essa atmosfera que é quase uma realidade paralela onde um urso é tratado como uma pessoa normal, mesmo que todos saibam o que ele é. Mostra uma vitória da inclusão que o criador Michael Bond que publicou a primeira história do ursinho em 1958 quis trazer para a sociedade desde então. Tanto que, mesmo muito atrapalhado e adorador de marmelada, os personagens humanos acabam sendo mais caricatos que o próprio protagonista. E no bom sentido.

Por exemplo, Hugh Grant talvez tenha feito seu melhor papel como o hilário vilão e com direito até a um número musical no final, enquanto Brendan Gleeson (“A Lei da Noite”) está adorável como o mal-encarado cozinheiro da prisão.

Os efeitos especiais são impressionantes ao ponto em que o espectador quase esquece que Paddington é uma criatura digital. Não só isso: algumas cenas são coreografadas à perfeição como na sequência do tour em Londres feito pelo livro de papel, acompanhado pela deliciosa trilha sonora de Dario Marianelli (“O Destino de Uma Nação”); ou a cena da fuga que faz uma belíssima homenagem a Charles Chpalin no clássico “Tempos Modernos”.

Paddington 2” repete em tom e inteligência seu antecessor sem ser uma mera imitação que deixa um baita sorriso no rosto do público, cativando a adultos e crianças. Tiro certo.

Curiosidades:

– 2 dias depois de terminar de filmar “A Forma da Água”, Sally Hawkins começou a filmar Paddington 2, sendo que um dos dias foi só a viagem que ela fez do Canadá (set do primeiro filme) para Londres. Detalhe: o clímax de ambos os filmes são cenas com ela debaixo d’água.
– O criador de Paddington Michael Bond faleceu aos 91 anos na véspera do fim das filmagens de Paddington 2.
– O livro que objeto de desejo no filme existe na vida real e é uma edição limitada sobre Londres.
– É o filme favorito de Hugh Grant em que ele atuou em toda a sua carreira.
– A cena inicial foi filmada no Brasil, perto de Manaus!

Ficha Técnica

Elenco:
Sally Hawkins
Hugh Bonneville
Julie Walters
Ben Whishaw
Hugh Grant
Brendan Gleeson
Michael Gambon
Imelda Staunton
Madeleine Harris
Samuel Joslin
Marie-France Alvarez
Sanjeev Bhaskar
Ben Miller
Jessica Hynes
Robbie Gee
Peter Capaldi
Kobna Holdbrook-Smith
Tom Davis
Noah Taylor
Aaron Neil
Nicholas Lumley
Virgile Elana
Eileen Atkins

Direção:
Paul King

Produção:
David Heyman

Fotografia:
Erik Wilson

Trilha Sonora:
Dario Marianelli

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑