“Ave, César! (“Hail, Caesar!”)

Uma homenagem ao cinema da década de 50. Uma comédia sofisticada. Um exercício de auto adulação. É o que se resume da nova, interessante, porém pretensiosa comédia dos irmãos Coen (“Balada de Um Homem Comum”).

Nessa história fictícia situada na década de 50 e inspirada por personagens reais, temos Eddie Mannix – um ex-produtor da MGM – interpretado por Josh Brolin (“Sicário – Terra de Ninguém”), como o resolvedor de problemas da fictícia Capitol Pictures. E sua vida não tem sido nada fácil nos últimos dias: tem que fazer o canastrão ator de western Hobie Doyle (Alden Ehrenreich de “Segredos de Sangue”) estrelar um filme clássico do exigente diretor Laurence Laurentz (Ralph Fiennes de “007 Contra Spectre”); Tem que dar um jeito de esconder a gravidez da estrela DeeAnna Moran (Scarlett Johansson de “Vingadores”); e principalmente resolver o mistério do desaparecimento de seu principal astro Baird Whitlock (George Clooney de “Tomorrowland”) que estava filmando a principal produção do estúdio, “Ave César”.

Brolin faz seu Mannix ligado no 220V e é a força motriz da obra e muito bem rodeado de coadjuvantes à altura e que, mesmo sozinhos, rendem cenas hilárias. O diálogo do diretor Laurence Laurentz com Hobie Doyle sobre como ele deve atuar numa determinada cena é de chorar de rir. Até mesmo Clooney extrai o melhor de sua veia cômica como o abobalhado e petulante Whitlock que sequer entende exatamente que foi sequestrado e também protagoniza cenas hilárias.

A arte dos irmãos Coen não se limitam à direção de elenco, mas também coreografar suas cenas montando um ar retrô e reconstruindo o cinema daquela década como nos momentos dos musicais com Channing Tatum (uma atração à parte) e a cena aquática de Scarlett Johansson. A construção é perfeitamente situada pelo diretor de fotografia Roger Deakins (que trabalhou com Brolin em “Sicário”) e sua trilha contagiante pelo premiado Carter Burwell (“Carol”) que praticamente nos leva aos anos 50.

Tanta perfeição teve seu preço: os irmãos Coen deixam a humildade de lado e se colocam praticamente como os deuses que manipulam a trama, a qual fica acima de qualquer falha. Isso se vê desde a irregular narração em off como se eles próprios escolhessem quando a voz entra, até no desfecho que parece selar essa posição de onipresença, onisciência e poder absoluto na qual eles mesmo se colocaram. E esse problema cujos efeitos foram citados em duas ocasiões, permeiam por toda a produção com algumas incômodas edições e cenas (a maneira como a trama do desaparecimento de Whitlock se resolve, por exemplo), muitas vezes como se eles quisessem dizer “Olha só o que fizemos aqui e como somos uns gênios!”.

Aliás, os irmãos Coen são gênios mesmo, mas deixar se levar por isso faz com que “Ave, César!” diminua sua relevância e perca o potencial que tinha de ser uma comédia muito acima da média. Não deixa de ser muito recomendado, mas fica um desconforto.

Curiosidades:
– Cada personagem fui inspirado em uma ou mais ou mais pessoas reais, como pode-se ver aqui:
— Eddie Mannix = Eddie Mannix
— Baird Whitlock = Robert Taylor + Charlton Heston + Kirk Douglas
— DeeAnna Moran = Esther Williams
— Burt Gurney = Gene Kelly
— Carlota Valdez = Carmen Miranda
— Hobie Doyle = Howard Keel + Dick Foran + James Ellison + Tim Holt (Atores de western)
— Laurence Laurentz = Vincente Minnelli (diretor)

– Eddie Mannix já foi interpretado por Bob Hoskins em “Hollywoodland – Nos Bastidores da Fama” em 2006. Nesse filme a esposa de Mannix era interpretada por Diane Lane, a qual era casada com Josh Brolin, o Mannix de “Ave, César!”. Aliás, eles se divorciaram em 2015.

– Na cena em que Mannix dá uns tapas em Whitlock, os tapas são reais e a reação de espanto de George Clooney ao recebe-los de Josh Brolin é real.

– O capitão do submarino que aparece só na sombra e ninguém menos que Dolph Ludgreen, um dos “Mercenários”. Sua cena era mais longa, mas foi quase totalmente cortada pelas restrições de tempo.

– A fictícia Capitol Pictures já apareceu em outro filme dos irmãos Coen, “Barton Fink – Delírios de Hollywood” de 1991.

Ficha Técnica

Elenco:
Josh Brolin
George Clooney
Alden Ehrenreich
Ralph Fiennes
Scarlett Johansson
Tilda Swinton
Frances McDormand
Channing Tatum
Jonah Hill
Veronica Osorio
Heather Goldenhersh
Alison Pill
Max Baker
Clancy Brown

Direção:
Ethan Coen
Joel Coen

Produção:
Tim Bevan
Ethan Coen
Joel Coen
Eric Fellner

Fotografia:
Roger Deakins

Trilha Sonora:
Carter Burwell

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑