Cloverfield – Monstro (“Cloverfield”, EUA, 2008) ***NOS CINEMAS***

[youtube ufYF0f-zMgY]

Godzilla” encontra “A Bruxa de Blair“: é o que se pode dizer de “Cloverfield”. A pergunta é: a junção dos conceitos dessas duas bombas pode dar um filme razoável? Resposta: sim e até dá um filmaço, se o público souber ter olhos mais analíticos. Temos que entender todas as vantagens e desvantagens da maneira em que essa ficção científica foi feita.

A produção é toda em câmera subjetiva, isto é, a platéia vê a ação através dos olhos dos personagens (no caso uma filmadora). E que ação! O diretor Matt Reeves (de “Caminho Sem Volta“) não deixa a peteca cair e nos dá de brinde os melhores ângulos de tudo com o disfarce de uma filmagem amadora. Chega a ser impressionante a fotografia e das sacadas de como ele mostra o desenrolar da trama. Melhor ainda é a trama paralela do romance entre o casal de protagonistas e como isso é inserido no contexto.

Agora todos tem que estar cientes das desvantagens da câmera subjetiva no ambiente do roteiro: como apenas sabemos o que os personagens sabem e vêem, o filme termina com muitas perguntas e poucas respostas. Nem pensem em querer saber de onde vieram as criaturas e porque algumas pessoas morrem após serem mordidas. E mesmo com excelentes efeitos especiais, quem acha que conseguirá ver as criaturas paradinhas em toda sua plenitude irá se decepcionar. E finalmente, o final abrupto totalmente coerente com o formato filmado pode fazer as pessoas saírem do cinema de cara feia. Assim, com as devidas ressalvas, quem for assistir, pode achar um filmaço. Não para todos os gostos, mas ainda sim um filmaço. Quem sabe essas respostas surjam na segunda parte a estrear em 2009?

Nota 8


Ficha Técnica

Elenco:
Lizzy Caplan
Jessica Lucas
T.J. Miller
Michael Stahl-David
Mike Vogel
Odette Yustman

Direção:
Matt Reeves

Produção:
J.J. Abrams
Bryan Burk

Fotografia:
Michael Bonvillain

 

1 Comment

Leave us a comment

  • curare
    on

    Uma coisa que não me habituo é camera nervosa com Mal de Parkinson. Mas como você está a dar uma nota 8,0. Vou encarar o filme.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑