Colossal

É um filme bem maluco, mas que infelizmente não soube aproveitar a sua própria maluquice.

Conhecemos Gloria (Anne Hathaway de “Uma Canção”) como uma alcóolatra negligente – numa apresentação até que bem humorada ao invés de pesada – que por isso e várias reincidências toma um pé na bunda do namorado que a sustentava e volta para sua cidade natal. É aí que as coisas ficam esquisitas: por alguma mágica, quando ela passa numa pracinha num determinado horário, um monstro se materializa na Coréia do Sul (há milhares de quilômetros da cidade de Gloria) e faz exatamente os mesmos movimentos dela. E tudo se complica mais quando ela começa a ter atritos com um amigo de infância Oscar (Jason Sudeikis de “Gênios do Crime”) que aparentemente tem esse mesmo poder.

O diretor Nacho Vigalondo, do fraquinho “Perseguição Virtual”, tem o mérito de fazer essa premissa sem sentido se encaixar como uma narrativa consistente. Além disso, com exceção do péssimo ator Austin Stowell (“Whiplash: Em Busca da Perfeição”), todos os demais compraram a idéia e se debruçaram nela. Inclusive Jason Sudeikis até surpreende com bons toques dramáticos para um ator que geralmente faz comédias.

Só que o filme desanda justamente no que deveria ser mais simples: a dinâmica dos personagens é incompreensível. Não dá pra entender o que os motiva a agir do jeito que agem e sua inteiração e reações acabam sendo justificadas muito mais pela conveniência do roteiro do que por um histórico coerente. Ótimas cenas são desperdiçadas por não terem contexto. Para citar alguns exemplos: o alcoolismo de Gloria é uma tema que some e aparece e estagnou numa relevância risível; a falta de auto estima de Oscar que só é mostrado como justificativa de algumas atitudes, mas não de outras que projetariam algo diferente; a dinâmica entre os próprios amigos de Oscar ou até mesmo a esquisitíssima relação de um deles, Joel (o tal canastrão Austin Stowell que parece o Cigano Igor da interpretação), com Gloria e com Oscar.

Assim, “Colossal” traz a peculiaridade de desenvolver muito bem uma premissa por mais absurda que seja, mas não desenvolver a si próprio, desperdiçando várias oportunidades, por pouco escapando da mediocridade e provando que às vezes não basta ter só uma idéia na cabeça e uma câmera na mão.

Curiosidade:

– Anne Hathaway estava no segunda trimestre da sua gravidez no período das filmagens.

Ficha Técnica

Elenco:
Anne Hathaway
Jason Sudeikis
Austin Stowell
Tim Blake Nelson
Dan Stevens

Direção:
Nacho Vigalondo

Produção:
Nicolas Chartier
Zev Foreman
Nahikari Ipiña
Russell Levine
Dominic Rustam

Fotografia:
Eric Kress

Trilha Sonora:
Bear McCreary

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑