Convenção das Bruxas (“The Witches”)

Que filme desnecessário Robert Zemeckis. Depois de ser um ícone, tendo revolucionado o cinema mais de uma vez desde a trilogia “De Volta Para o Futuro”, com tantos filmes importantes, o diretor deslizou em “Bem Vindos a Marwen” e agora confirma outra decepção fazendo um remake do intocável clássico homônimo de 1990, baseado em um best seller de 1983.

Depois de um primeiro ato sacal que conta a história do garotinho sem nome que após a morte dos pais foi morar com a sua avó (Octavia Spencer de “Luce”), ambos se defrontam com um bando de bruxas disfarçadas de gente, chefiadas por ninguém menos que Anne Hathaway (“As Trapaceiras”) quando se mudam para um luxuoso hotel.

A parte “que interessa” é cheia de efeitos especiais de primeira linha, seja na maquiagem da bruxa má, seja no CGI usado para compor os ratinhos, mas não passa muito disso. A história é simplória com os eventos que a compõe bastante rasos e sem a mínima construção narrativa para provocar qualquer tensão ou qualquer tipo de reação no espectador, além de uma contemplação dos próprios efeitos especiais.

Anne Hathaway está especialmente ruim com um sotaque forçado que perde toda a graça, enquanto Octávia Spencer tenta dar credibilidade a produção, mas não consegue segurar sozinha. Os atores mirins são melhores quando transformados em ratos. Aliás, eles são tão pouco explorados antes da transformação que parecem pessoas diferentes após ela.

Finalmente, não bastasse essas falhas na interpretação, a lógica dos personagens é capenga, resumindo suas ações como se fossem um desenho do Tom & Jerry.

Convenção das Bruxas” é pura perda de tempo para um design de produção tão caro. Não vale a ida ao cinema e é melhor esperar o streaming.

Curiosidade:

– O filme faz várias homenagens ao desenho dos Looney Tunes da Warner. Além das perseguições características, as ratoeiras são todas da ACME, empresa fictícia dos desenhos animados.
– No original de 1990 a bruxa principal foi interpretada por Anjelica Houston e agora por Anne Hathaway, ambas com as mesmas iniciais A.H.
– Anne Hathaway estava grávida durante as filmagens.
– O nome Fórmula 86 é uma homenagem ao seriado cômico Agente 86. “86” nas décadas de 20 e 30 tinha a conotação de “indesejável” ou “descartável”.
– A fórmula mágica sempre é vista sendo colocado no gelo pela bruxa, pois só funciona se estiver em baixas temperaturas. Numa das cenas a bruxa má tira o frasco do decote, numa menção de que o coração de uma bruxa é de gelo.
– O quarto da bruxa é o número 666, comumente associado com o diabo. O gato dela se chama Hades, nome do deus grego do submundo dos mortos, também associado em várias culturas com o mal.
– Durante as filmagens ocorreu uma facada entre um auxiliar de filmagens e outro membro da equipe. O caso não foi explicado e ninguém morreu.
– Quando a bruxa diz que vai fazer do jeito Shakespeare, é uma referência a Hamlet onde Claudius mata o rei pingando veneno em seu ouvido.

Ficha Técnica

Elenco:
Anne Hathaway
Octavia Spencer
Stanley Tucci
Chris Rock
Jahzir Bruno
Brian Bovell
Joseph Zinyemba
Josette Simon
Jonathan Livingstone
Miranda Sarfo Peprah
Charles Edwards
Codie-Lei Eastick

Direção:
Robert Zemeckis

Produção:
Alfonso Cuarón
Guillermo del Toro
Luke Kelly
Jack Rapke
Robert Zemeckis

Fotografia:
Don Burgess

Trilha Sonora:
Alan Silvestri

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑