Era Uma Vez em… Hollywood (“Once Upon a Time … in Hollywood”)

Muitos cineastas já fizeram sua “carta de amor” à indústria do entretenimento americano, à Hollywood e ao cinema. Essa então é a vez de Quentin Tarantino, o que é interessante e peculiar porque ele sai do seu habitat natural da violência urbana, faroeste, carnificina histórica e afins para contar bem ao seu estilo, uma história tragicômica passada em 1969.

Na verdade, são três histórias paralelas que andam lado a lado (tal qual “Pulp Fiction”) e misturam ficção e realidade – ou pelo menos uma realidade alterada – tal qual Tarantino fez em “Bastardos Inglórios”.

Primeiro a história de Rick Dalton (Leonardo DiCaprio que volta ao cinema depois de quase 4 anos após filmar o premiado “O Regresso”), um ator que teve seu auge como cowboy de uma sitcom americana, mas que nunca decolou e começa a ver seu futuro cada vez menos relevante na indústria. Colado a ele e com seu próprio arco de história, Brad Pitt de “À Beira Mar” é Cliff, dublê de Rick, saradão e sempre de boa, vai se envolver em inúmeras confusões, inclusive com a seita do famoso psicopata Charles Mason. E finalmente Margot Robbie de “Duas Rainhas” vive a única personagem “real” do trio, a atriz Sharon Tate que fora assassinada pela seita de Charles Manson… em 1969. Mas com Tarantino, tudo é possível.

Dessa forma, o diretor estabelece seus pilares: DiCaprio é a ficção pura, uma história de fim a fim de um ator inseguro e cada vez mais desesperado por ser um astro; Cliff é o link entre a ficção de Dalton e a realidade, além de servir de alívio cômico em cenas emblemáticas; e Robbie é o contexto real (ou surreal, como queiram) da virada para os anos 80. E ainda mais simbólico é que apesar de estarem em extremos da narrativa Danton e Tate funcionam como contraponto um do outro, mas enquanto Tate está ludibriada de felicidade com sua ascenção profissional em Hollywood, Dalton amarga agonizar nesse mesmo meio.

Com uma impecável reconstituição de época e uma escolha musical que só o diretor consegue selecionar, o filme evoca os grandes clássicos da TV da década de 60 dentro do contexto histórico da eleição de Richard Nixon e da Guerra do Vietnã e como a indústria era um mundo à parte e por isso o arco de narrativa dos três personagens representam as três camadas de aproximação entre o imaginário e o real.

Filosofias à parte, há algumas referências deliciosas à cultura pop e até mesmo uma descarada referência a “Bastardos Inglórios”, provavelmente já antecipando o desfecho (sem spoilers). Inclusive é recheados de personagens “reais” de Roman Polanski à Steve McQueen.

Aliás, o desfecho é daqueles sensacionais que contém todos os elementos que os fãs amam nos filmes de Tarantino e é bom demais para revelar. “Era Uma Vez em… Hollywood” é um filme de Tarantino que passa longe de seus temas recorrentes, mas usa a sua mesma linguagem para declarar seu amor pela vibrante – e nem sempre justa – indústria da arte. E funciona perfeitamente.

Curiosidades:

– O ator que interpreta Charles Mason (Damon Herriman de “Sangue Jovem”) também interpreta o mesmo Charles Mason na série “Mindhunter”.
– Margot Robbie usou jóias verdadeiras de Sharon Tate, emprestadas pela irmã dela, Debra Tate.
– A filha de Bruce Lee está processando Tarantino pela maneira jocosa como ele retrata Bruce Lee em seu filme.
– O Cadillac que aparece no filme pertence ao amigo de Tarantino, o ator Michael Madsen que, como sempre, faz uma ponta.
– Aliás, esse é o único filme de Tarantino em que o personagem de Michael Madsen não morre. Ele já havia pedido publicamente um papel para o diretor em que ele consiga viver até o final.
– Há uma cena em que Sharon Tate aponta para um cinema pornô. Esse cinema ainda existe, mas agora só passa filmes cult e de arte. O dono do cinema é ninguém menos que o próprio Quentin Tarantino.
– Último filme do ator Luke Perry (lembram da série “Barrados no Baile”?) antes de sua morte.
– Originalmente o roteiro iria ser um livro. Após 5 anos se dedicando a ele, Tarantino achou melhor transformá-lo num filme.
– Segunda vez que Tarantino usa o nome Antonio Margheriti em seus filmes. Aqui ele é um diretor italiano. Em “Bastardos inglórios”, ele é um disfarce de um dos heróis.
– Quase todos os amigos de Tarantino fazem pontas no filme. Nos créditos finais, há uma parte especial onde seus nomes aparecem chamada “A Gangue”. Alguns tiveram suas cenas cortadas, mas também aparecem nos créditos (por exemplo, Tim Roth). Faltou o Samual L. Jackson.
– O primeiro corte do filme tinha 4 horas e 20 minutos. O corte final e que está nos cinemas tem 2 horas e 40 minutos.
– A festa na Mansão Playboy foi realmente filmada lá. Inclusive Tarantino participou de algumas festas quando Hugh Hefner ainda era vivo.
– Margot Robbie usou lentes marrons para combinar com os olhos de Shron Tate. Na realidade seus olhos são azuis.
– O título é uma homenagem ao diretor Sergio Leone – um dos preferidos de Tarantino – que dirigiu os clássicos “Era Uma Vez no Oeste” e “Era Uma Vez em Nova York”.
– Há uma cena que aparece a revista MAD com o protagonista na capa. Após o lançamento, a revista MAD lançou nos EUA uma edição especial em homenagem a Tarantino com exatamente a mesma capa.
– O episódio da série FBI em que Rick Dalton participa é real. As cenas foram editadas para colocar Leonardo DiCaprio. O ator desse episódio na vida real foi Burt Reynolds, o qual foi oferecido o papel do dono do terreno onde vivia a seita de Charles Manson. Infelizmente Mason faleceu antes das filmagens.
– O design da parede do aeroporto nesse filme é exatamente o mesmo do aeroporto em seu outro filme “Jackie Brown”.
– As filhas de Uma Thurman, Kevin Smith e Bruce Williams participam do filme.
– O filme que Sharon Tate vê no cinema onde ela mesma atua é com a verdadeira Sharon Tate e não foi editado para que Margot Robbie aparecesse.

SPOILER – SÓ LEIA DEPOIS DE VER O FILME!!!

– A cena em que Cliff visita o terreno da Seita de Charles Mason foi baseado num evento real: um dublê, sabendo das intenções de Mason, foi avisar ao dono do terreno e acabou sendo morto por membros da seita.

Ficha Técnica

Elenco:
Leonardo DiCaprio
Brad Pitt
Margot Robbie
Emile Hirsch
Margaret Qualley
Timothy Olyphant
Julia Butters
Austin Butler
Dakota Fanning
Bruce Dern
Mike Moh
Luke Perry
Damian Lewis
Al Pacino
Nicholas Hammond
Samantha Robinson
Rafal Zawierucha
Lorenza Izzo
Costa Ronin
Damon Herriman
Lena Dunham
Madisen Beaty
Mikey Madison
James Landry Hébert
Maya Hawke
Victoria Pedretti
Sydney Sweeney
Harley Quinn Smith
Dallas Jay Hunter
Kansas Bowling
Parker Love Bowling
Cassidy Hice
Ruby Rose Skotchdopole
Danielle Harris

Direção:
Quentin Tarantino

Produção:
David Heyman
Shannon McIntosh
Quentin Tarantino

Fotografia:
Robert Richardson

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑