Escape Room

Os mais jovens podem até comparar o filme com “Jogos Mortais”, mas de verdade sabemos que esse subgênero do terror / ficção já vem de muito tempo e tem como um dos expoentes mais marcantes o cult “O Cubo” de 1997.

A trama, como sempre, é simples: seis pessoas estão presas dentro de um quarto e precisam decifrar os enigmas dentro dele para escapar com vida e ir para outro quarto / fase. E também precisam entender porque elas foram escolhidas para aquele jogo.

O que diferencia os exemplares desse gênero é justamente a sua execução. Nesse ponto, o diretor Adam Robitel de “Sobrenatural: A Última Chave”, deu uma caprichada na produção e nos cenários e cresce a tensão e a seriedade do jogo a cada passo dado, o que é uma boa sacada, visto que os personagens inicialmente não acreditam na possibilidade de ser fatal.

Uma pena que ele drenou muito do que poderia ser chamado de terror aliviando as mortes, tornando-o a produção mais light e mais com cara de ação.

Na verdade, e aí começam os pontos negativos, o roteiro é meio afetado: como os desafios foram feitos pensando em cada um dos personagens, algumas coisas seriam impossíveis da tal empresa de jogos descobrir, mesmo que pesquisassem anos a fio. Aí enfraquece a trama.

Os Escape Rooms são bem pensados, mesmo que a complexidade de alguns seja questionável do ponto de vista que necessitaria uma mente bastante avançada para decifrar certos enigmas, quando o ideal seria que o espectador acompanhasse junto e neste caso, algumas vezes ficamos pra trás.

Infelizmente o desfecho, ou melhor, a última cena é desnecessária e afetada, querendo inferir que haverá uma franquia juvenil como “Maze Runner – Correr ou Morrer”, mas de uma forma tão cafona que parece que fomos remetidos a um filme B da década de 80 onde o vilão aparece nas sombras num painel de controle e com a voz distorcida. A gente podia ter passado sem essa.

Escape Room” tem adrenalina, é bem produzido, mas joga fora um imenso potencial de terror, descendo a barra para acomodar uma possível franquia água com açúcar.

Curiosidade:

– Essas Escape Rooms existem de verdade, mas claro, não são mortais. Infelizmente em uma delas na Polônia se incendiou causando a morte de 5 pessoas próximo da data de lançamento do filme. Em respeito à tragédia, a produtora decidiu atrasar o lançamento em alguns meses.

Ficha Técnica

Elenco:
Taylor Russell
Logan Miller
Jay Ellis
Tyler Labine
Deborah Ann Woll
Nik Dodani
Yorick van Wageningen
Cornelius Geaney Jr.
Russell Crous
Bart Fouche
Jessica Sutton
Paul Hampshire
Vere Tindale
Kenneth Fok

Direção:
Adam Robitel

Produção:
Ori Marmur
Neal H. Moritz

Fotografia:
Marc Spicer

Trilha Sonora:
John Carey
Brian Tyler

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑