Fuga de Pretória (“Escape from Pretoria”)

Depois de Daniel Radcliffe me forçar a ver o péssimo “Carga Mortal”, nesta mesma semana ele se redime com essa ótima produção baseada na história de real de três ativistas contra o Apartheid escaparam de uma prisão na África do Sul no fim da década de 70.

Radcliffe é Tim Jenkins que com seu amigo Stephen Lee (o ainda desconhecido ator Daniel Webber) foram presos por seu ativismo, cujas atividades eram consideradas terrorismo pelas autoridades sul-africanas. Por serem brancos agindo por uma causa dos negros foram enviados para a prisão de Pretória e lá conheceram Leonard (o também desconhecido Mark Leonard Winter) que os incentivou a escapar.

Há uma ótima reconstituição de época, com elementos técnicos como figurino e design de produção que chamam atenção pela fidelidade. Até mesmo o cenário da prisão na África – que fora filmado na verdade em Adelaide, na Austrália – foi trabalhado para a melhor semelhança possível.

O melhor, entretanto, vem da direção do estreante em longas-metragens Francis Annan: ele trabalhou o meticuloso plano, que na prática é algo mais estável, como uma dinâmica de câmeras, edições e enquadramentos que não deixam a narrativa morosa.

Outra boa sacada são os closes que permite ao espectador ter uma visão limitada e que, tal qual os próprios personagens, ficam tensos por não saber quais ameaças pode haver ao seu redor. A sequência do planejamento foi tão bem trabalhada que o clímax até perde um pouco de sua força pelo fato do público já vir de um alto nível de tensão desde o segundo ato.

Baseado no livro “De dentro para fora: a história da fuga de Pretória”, escrito pelo próprio Jenkins, “Fuga de Pretória” é daquelas histórias reais que merecem ser contadas e contou com uma execução bem acima da média.

Curiosidades:

– O verdadeiro Tim Jenkins participou como consultor do filme. Alguns dos moldes de chaves usados no filme foram os moldes reais que Jenkins emprestou para a produção. Ele inclusive faz uma figuração como um dos prisioneiros.
– O guarda que estava de plantão na noite da fuga foi acusado de ajudar os prisioneiros. Ele só foi libertado porque Jenkins (já seguro em Londres) mandou uma carta de próprio punho afirmando que o oficial não teve nenhuma participação em sua fuga.
– A prisão usada como cenário na Austrália na verdade é um antigo reformatório feminino.
– Caso ninguém tenha reparado, a dupla de protagonistas se chama Daniel: Radcliffe e Webber.

Ficha Técnica

Elenco:
Daniel Radcliffe
Daniel Webber
Ian Hart
Mark Leonard Winter
Nathan Page
Grant Piro
Lenny Firth
Lliam Amor
Adam Tuominen
PJ Oaten
Ratidzo Mambo

Direção:
Francis Annan

Produção:
David Barron
Mark Blaney
Gary Hamilton
Michelle Krumm
Jackie Sheppard

Fotografia:
Geoffrey Hall

Trilha Sonora:
David Hirschfelder

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑