Gran Torino (EUA / Austrália, 2008) ***NOS CINEMAS***

Genre :

[youtube Y_0088KD1_U]

Após “A Troca“, Clint Eastwood aquece ainda mais sua carreira de diretor onde ele mesmo é o protagonista como Walt, um veterano de guerra que, após a morte de sua esposa se vê sozinho, já que percebe seus filhos claramente interesseiros em seus bens assim que ele partisse dessa para uma melhor. Um tanto debilitado e assombrado por seus pecados de guerra ele fica ainda mais rabugento ao ver que sua vizinhança se degradou sendo ninho de imigrantes asiáticos e gangues. Preconceituoso, ele começa a mudar após ajudar seu vizinho, um garoto hmong, vítima de uma gangue, mesmo após este ter tentado roubar seu Gran Torino, o carro do título.

Eastwood nos entrega uma atuação que bem poderia ser lembrada pela Academia, mas não foi. Politicamente incorreto, a forma inóspita com que lida os vizinhos, mas que, aos poucos vai abrindo a guarda é um show de se acompanhar.

Um uma direção sempre suave, os melhores momentos são essas interações com os vizinhos (o diálogo entre, ele, o garoto e o barbeiro é impagável). Ainda há uma trama sobre a tal gangue, onde o espectador pode até pensar que Walt vai dar uma de Dirt Harry, mas cujo desfecho é bem diferente do que se imagina.

Agora, o que é imperdível é a canção no seu desfecho, escrita e cantada pelo próprio Clint Eastwood em parceria com Jamie Cullun. É daquelas que também mereciam uma indicação ao Oscar. Arranca lágrimas e dá vontade de assistir até o último crédito só pelo prazer de escutá-la.

[rating:4]


Ficha Técnica

Elenco:
Clint Eastwood
Christopher Carley
Bee Vang
Ahney Her
Brian Haley
Geraldine Hughes
Dreama Walker
Brian Howe
William Hill
John Carroll Lynch

Direção:
Clint Eastwood

Produção:
Bill Gerber
Clint Eastwood
Robert Lorenz

Fotografia:
Tom Stern

Trilha Sonora:
Kyle Eastwood
Michael Stevens

 

1 Comment

Leave us a comment

  • saullo
    on

    cara…tae um filme q eu vi, vi de novo, vi outra vez, vi mais uma vez, e nao consegui entender o pq de tanta frescurada da critica com ele.

    ta…Eastwood até q trabaalhou certinho, nao mais q isso, mas, pow…o resto todo do filme nao teve nada de mais, nada mesmo. bora ver, começando pelo muleki chato, o vizinho dele, pow…o muleki trabalha mal p carai, ou vai dizer q vc nao achou a cena onde ele fica trancado, constrangedor de tao ruim a interpretaçao?
    o final entao….carai, será mesmo q alguém no mundo, tirando vc, imaginou um final diferente? totalmente previsivel, fora q ele pareceu mais foi o will smith no “sete vidas”, ou seja, quase jesus cristo.

    e, a se gangue era taaaaao da pesada, dava tiros a bangu, pra q chegar àquela atitude? aposto q a questao ali nao era falta de testemunhas e sim falta de coragem para testemunhar, logo, o final nao teve sentido.

    outra coisa, falar q chorou por causa da musica, é foda,em. acho q só o cara tendo sido corno por uma maria gasolina p poder chorar vendo um carro e ouvindo uma voz ruim p carai tentando cantar uma letra besta.

    e essa coisa de gangue da pesada q fica assustando velhinhos…fala serio!! se fosse verdade, matava logo de primeira.

    mas…até q o filme vale a pena ser visto, vale sim, mas…nao com toda essa coisa de superfodastico q tentaram passar. vale uma sessao da tarde.

    aaaaaata, faltou o destaque XD

    o destaque fica para as cuspidas no filme, principalmente a da velha =P

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑