Indústria Americana (“American Factory”)

Em 1991, Renato Russo em sua música letras já disse que “o mundo anda tão complicado”. Mal ele sabia o quanto iria complicar mais ainda nos rumos de 2020.

Há um jargão corporativo, o acrônimo VUCA, que traduz exatamente o mundo em que vivemos dividindo nossa atmosfera particular e profissional em quatro pilares ou cenários: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. O documentário vencedor do Oscar 2020, “Industria Americana” materializa o mundo VUCA com perfeição.

Realizado por uma produtora fundada por Barack e Michelle Obama, o filme fala sobre o fechamento de uma planta (fábrica) da GM em 2008 na cidade de Dayton, Ohio, sendo que anos depois uma empresa chinesa fabricante de vidros compra essa mesma planta dando esperança e motivação para os trabalhadores da cidadezinha. Mas o embate da cultura chinesa com a americana viria a trazer uma série de atritos que podem ser irreconciliáveis para muitos.

A grande sacada do documentário é justamente não tomar partido. De um lado, os chineses com uma rígida disciplina que chega próximo da exaustão, trabalhando em condições de segurança questionáveis e, muitos longe de sua família sem ganhar nada a mais, porém com a cultura comunista do país mãe onde não se concebe outro meio de viver, senão pelo trabalho.

Do outro, os americanos que não querem sair de sua zona de conforto, não entendem as novas direções do mercado, apelam para seus sindicatos por qualquer coisa, e veem o sonho de um trabalho ao jeito americano se transformar num pesadelo quando as normas chinesas começam a espremê-los.

Entretanto da mesma forma que os chineses descobrem um modo de vida diferente que os faz questionar sua própria cultura, os americanos também se encantam e admiram a disciplina inabalável dos chineses, os quais nutrem um senso de superioridade em desempenho (bem justificado, diga-se de passagem).

O resultado é ver como o trator do capitalismo funciona independente de uma China “dita” comunista e o sindicalismo dos EUA. O documentário tem o mérito de focar no global – resultados, indicadores da empresa – e no local, contando as histórias pessoas de americanos e chineses que enfrentam esse desafio, inclusive o próprio dono da empresa Fuyao, que num momento especial, questiona a si próprio se seu trabalho ajuda ou prejudica o mundo.

Indústria Americana” é uma grande reflexão do mundo, principalmente no corporativo, e das escolhas que fazemos dentro dele numa visão imparcial e realista.

Curiosidades:

– Último filme da diretora Julia Reichert que atualmente está em estado terminal de câncer.
– Os diretores Steven Bognar e Julia Reichert são casados.
– Os diretores desse documentário também fizeram um curta-metragem sobre o fechamento da planta da GM e da desolação de seus funcionários em 2009.

Ficha Técnica

Elenco:
Junming ‘Jimmy’ Wang
Robert Allen
Sherrod Brown
Dave Burrows
Austin Cole
John Crane
John Gauthier
Rob Haerr
Cynthia Harper
Wong He Wong He
Timi Jernigan
Jill Lamantia
Jeff Daochuan Liu
Shawnea Rosser

Direção:
Steven Bognar
Julia Reichert

Produção:
Steven Bognar
Julie Parker Benello
Jeff Reichert
Julia Reichert

Fotografia:
Steven Bognar
Aubrey Keith
Jeff Reichert
Julia Reichert
Erick Stoll

Trilha Sonora:
Chad Cannon

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑