John Wick 3: Parabellum (“John Wick: Chapter 3 – Parabellum”)

Parabellum é a última parte da máxima em latim “Se quiser paz, esteja preparado para guerra”. E o filme começa exatamente onde parou o segundo capítulo da saga de John Wick: com ele correndo contra o tempo, pois tinha acabado de ser excomungado (a palavra usada foi excomunicado) por ter quebrado uma das regras da Alta Cúpula dos Assassinos, matando alguém no solo do Hotel Continental e então um contrato de U$ 15 milhões pela sua cabeça irá para todos os assassinos do mundo.

Wick tem que enfrentar uma tonelada de bandidos e descobrir um jeito de sair dessa enrascada. O que ele não sabe é que quem ajudou ele também está na mira da alta cúpula.

O roteiro amplia ao espectador cada vez mais esse interessante universo da Alta Cúpula e como funciona a sua operação, já introduzindo personagens como a juíza (Asia Kate Dillon da série “Orange is the New Black”) ou até mesmo um dos cabeças da cúpula (Saïd Taghmaoui de “Mulher Maravilha”). Destaque para o assassino vivido por Mark Dacascos (“Operação Limpeza”) que consegue ir da seriedade ao humor sem perder a pegada.

Cada vez mais a história vai ganhando novos contornos em escala e profundidade e atiça a curiosidade para saber o que ou quem está por trás dessa organização. Keanu Reeves está no modo de batalha ininterruptamente, pois a narrativa não dá trégua e as pausas pra respirar são pouquíssimas, sendo 90% recheado com lutas e tiroteios, algumas cenas bastante criativas como a luta num museu ou nas motocicletas, com o diretor sempre procurando inovar a cada cena sem perder o chão do que seria o mínimo aceitável para não insultar a inteligência do espectador (é claro que vez ou outra isso acontece).

Apesar de Wick se implacável e por vezes quase indestrutível, tanto o roteiro quanto o ator fazem a dor infligida por todas as lutas ser aparente e agonizante no protagonista, o que aumenta a sua afinidade com o público.

A violência gráfica é uma atração a parte com ótimos efeitos especiais e sangue para satisfazer os mais famintos.

A saga de John Wick está cada vez mais coesa com capítulos que fecham suas pontas e se potencializam. Com a terceira parte não é diferente. Imperdível. E se preparem para mais.

Curiosidades:

– Há várias homenagens ao filme Matrix onde Keanu Reeves é o protagonista e o diretor Chad Stahelski era o coordenador de dublês.
1. Praticamente todos os telefones celulares dos assassinos são do mesmo modelo que Neo usava.
2. Há uma cena em que Wick fala que ele quer “Armas. Muitas armas” que é o mesmo diálogo e no mesmo contexto de Matrix.
3. A cena em que Wick fica atrás de uma coluna que é praticamente destruída a tiros é análoga a uma cena de Matrix.
4. Reúne quatro atores do elenco de Matrix: Keanu Reeves, Laurence Fishburne, Tiger Hu Chen, e Randall Duk Kim (o Chaveiro).

– É a terceira vez que o personagem de Keanu Reeves luta com o personagem de Tiger Hu Chen, sendo as outras duas em Matrix e “O Homem do Tai Chi”.
– Halle Berry de “Kingsman 2” que faz uma participação no filme quebrou 3 costelas nas suas cenas de luta.
– Nas cenas filmadas no Marrocos, haviam tantos gatos na rua que a produção teve que construir um muro ao redor dos cenários para que eles não atrapalhassem as filmagens.

Ficha Técnica

Elenco:
Keanu Reeves
Halle Berry
Ian McShane
Laurence Fishburne
Mark Dacascos
Asia Kate Dillon
Lance Reddick
Tobias Segal
Anjelica Huston
Saïd Taghmaoui
Jerome Flynn
Randall Duk Kim
Margaret Daly
Robin Lord Taylor
Susan Blommaert

Direção:
Chad Stahelski

Produção:
Basil Iwanyk
Erica Lee

Fotografia:
Dan Laustsen

Trilha Sonora:
Tyler Bates
Joel J. Richard

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑