Legítimo Rei (“Outlaw King”)

O filme se passa ao final e depois dos eventos do excelente e premiado clássico “Coração Valente” de 1995 com Mel Gibson, que interpretava William Wallace, primeiro grande marco na retomada do trono escocês dos britânicos.

Logo após o tempo de Wallace, o príncipe Robert (Chris Pine de “Uma Dobra no Tempo”) decide reunir seus poucos aliados e se rebelar contra o grande exército britânico, acarretando muitas derrotas e baixas até uma reviravolta.

Nas duas horas de duração, a obra tem pressa, mas é conduzida com segurança pelo diretor David Mackenzie (“A Qualquer Custo”). É que são inúmeros os acontecimentos, emboscadas e batalhas que se passam ao longo da jornada de Bruce, sua família, amigos e companheiros em inúmeras tentativas de vencer o inimigo inglês. Ainda assim, o espectador consegue se situar bem na narrativa, pois ela é intuitiva, meio burocrática, mas na medida certa para não cansar.

Mais que isso, as tomadas e ângulos de câmera são meticuloso a ponto da sequencia de entrada ter sido feita em uma tomada única de 8 minutos (semelhante ao feito em “O Regresso”). Aliás isso reflete na belíssima fotografia composta por Barry Ackroyd (“Jason Bourne”) e ainda muito mais nas batalhas que além de serem bem coreografadas se utilizam de ótimos efeitos digitais para potencializar a violência sem torna-la apelativa. Há uma cena emblemática, inclusive, de um assassinato tão visceral e explícito que chega a ser surpreendente e eleva o nível de detalhismo da produção.

Pine faz corretamente o protagonista e se despe dos exageros cômicos de seus papéis de costume. Inclusive faz um ótimo sotaque escocês, já que ele é americano. Destaque também para Aaron Taylor-Johnson (“Na Mira do Atirador”) como o herói psicopata Lord Douglas, pois apesar de aparentemente exagerado, a história mostra uma enorme fidelidade ao papel.

Legítimo Rei” é um grande épico da Netflix com qualidade de cinema de gente grande e todos os elementos que rivalizam com os premiados filmes do gênero.

Curiosidades:

– Apesar dos morros escoceses atualmente são mais descampados como mostra o filme, na época eles tinham florestas.
– O ator James Cosmo, pai do protagonista, também participou de “Coração Valente” em 1995 que se situa no mesmo universo.
– A planta que Robert da de presente à esposa em duas ocasiões é a flor oficial da Escócia.
– Há uma cena antes de uma batalha onde se foca numa teia de aranha. É um símbolo da lenda que diz que Robert, prestes a desistir das batalhas após algumas derrotas, estava observando uma aranha construir a sua teia. A aranha não conseguia fazer uma volta completa, pois escorregava, mas continuava tentando. Ele então se convenceu de que se ela conseguisse vencer esses obstáculos, então ele também conseguiria e voltaria a lutar. A aranha conseguiu construir a teia e Robert continuou sua luta até vencer.
– Na geração seguinte após Lord Douglas ter conquistado seu castelo de volta, seus descendentes foram assassinados num jantar, conhecido como “O Jantar Negro”. Esse episódio inspirou a passagem “O Casamento Vermelho” do livro que deu origem à série “Game of Thrones”.
– Na cena em que Robert entrega um cálice de barro à esposa, toca alguns segundos da trilha sonora de “Coração Valente” como uma homenagem.

SPOILER – Só leia após ter visto ao filme:

– Apesar do final feliz, anos depois de Robert ter conquistado o trono, ele é deposto pela própria esposa e alguns aliados em favor de seu filho que tinha 14 anos. Pouco tempo depois ele é assassinado e suspeita-se que os responsáveis foram as mesmas pessoas que o depuseram.

Ficha Técnica

Elenco:
Chris Pine
Aaron Taylor-Johnson
Billy Howle
Florence Pugh
Sam Spruell
Stephen Dillane
James Cosmo
Rebecca Robin
Paul Blair
Jonny Phillips
Ben Clifford
Jamie Maclachlan
Duncan Lacroix
Kevin Mains
Callan Mulvey
Steven Cree
Tony Curran
Alastair Mackenzie
Lorne MacFadyen
Jack Greenlees
Chris Fulton
Jamie Michie
Daniel Jackson
Duncan Airlie James
Philip Kingscott
Victoria Liddelle
Gemma McElhinney

Direção:
David Mackenzie

Produção:
Gillian Berrie

Fotografia:
Barry Ackroyd

Trilha Sonora:
Grey Dogs

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑