O Experimento de Aprisionamento de Stanford (“The Stanford Prison Experiment”)

O filme é baseado em fatos ocorridos em 1971, os quais foram descritos no livro “O Efeito Lúcifer” pelo próprio psicólogo Dr. Zimbardo, aqui interpretado pelo sempre competente Billy Crudup de “Jackie”. Inclusive essa história já resultou nas produções “A Experiência” de 2001 feita na Alemanha e na americana “Detenção” de 2010, inclusive comentada aqui no Cinecríticas.

A maior diferença é que enquanto as outras duas mostravam uma versão mais ficcional com suspense e um pouco de ação, nesta temos o verdadeiro drama psicológico com a mesma tensão onde estudantes são selecionados para o estudo do Dr. Zimbardo onde parte deles serão prisioneiros e parte deles serão guardas para que se verifiquem como seus comportamentos podem mudar numa situação de prisão e até onde suas identidades, suas essências podem ser alteradas.

Outro diferencial é que o diretor dedicou parte da projeção em perceber as mudanças na própria equipe de psicólogos. Num momento chave, talvez o mais inteligente, um personagem desse grupo fala “Nós também nos tornamos parte desse experimento”, uma observação emblemática que dá o tom da narrativa, a qual se divide sabiamente entre o limite psicológico onde os prisioneiros podem quebrar assediados pelos guardas que se empolgaram com a relação de dominância; e a equipe de pesquisa cujo próprio psicológico começa a se degradar com a relação de poder que adquiriram.

O que chama mais atenção no Dr. Zimbardo é que suas convicções não o permitem ver o mal que está fazendo aos garotos, o que não o torna um vilão da mesma forma que Thanos em “Vingadores” também mostra convicções racionais para suas ações titânicas.

Além de Crudup, alguns ótimos atores jovens carregam o filme do lado das cobaias como Michael Angarano de “Jogo Duro” e Ezra Miller, o Flash de “Liga da Justiça” que lá é coincidentemente filho do personagem interpretado pelo próprio Crudup. Além de ótimas interpretações, ambos fazem uma reveladora “entrevista” ficcional no créditos finais.

“O Experimento de Aprisionamento de Stanford” é surpreendente em conteúdo tem um ótimo elenco, o qual nos conecta aos personagens e junta tensão e drama na medida certa. Garantido.

Curiosidades:
– Não se fala no filme, mas o experimento foi patrocinado pelas forças armadas americanas que queriam entender a relação psicológica entre guardas e prisioneiros numa prisão militar.
– Na vida real, ao invés de U$ 15 por dia para cada jovem, foi oferecido U$ 20 por dia. Se corrigirmos isso pela inflação americana, hoje cada um ganharia U$ 1.756,72 pelas 2 semanas.

Ficha Técnica

Elenco:
Billy Crudup
Michael Angarano
Moises Arias
Nicholas Braun
Gaius Charles
Keir Gilchrist
Ki Hong Lee
Thomas Mann
Ezra Miller
Logan Miller
Tye Sheridan
Johnny Simmons
James Wolk
Nelsan Ellis
Olivia Thirlby
Matt Bennett
Jesse Carere
Brett Davern
James Frecheville
Miles Heizer
Jack Kilmer
Callan McAuliffe
Benedict Samuel
Chris Sheffield

Direção:
Kyle Patrick Alvarez

Produção:
Lauren Bratman
Brent Emery
Lizzie Friedman
Karen Lauder
Greg Little

Fotografia:
Jas Shelton

Trilha Sonora:
Andrew Hewitt

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑