Pets: A Vida Secreta dos Bichos (“The Secret Life of Pets”)

Com tantas animações mais complexas, profundas e emocionantes, “Pets” vai numa gostosa contramão de simplesmente entreter. Mas faz isso com muita sabedoria, ligando-se nos detalhes e cheio de ótimas referências cinematográficas.

Quando os donos saem de casa, seus bichinhos de estimação se confraternizam, mas sem perder seus instintos peculiares. Essa primeira parte já demonstra o quando o roteiro se preocupa em manter a essência dos animais sem simplesmente transformá-los em personagens planos de formatos diferentes. O próprio protagonista Max narra a relação com sua dona de uma forma tão idealizada e leal que só os cachorros conseguem ter, enquanto sua vizinha de cima, uma gata, não está nem ai pra nada, tendo um senso de honestidade superlativo. Talvez a melhor comparação seja na hora em que os cachorros correm atrás de uma bola e o gato de um pointer de laser.

Voltando à sinopse, tudo vai bem até Max ganhar um coleguinha, o espaçoso Duke. Enciumado, ele tenta se livrar de Duke, mas ambos acabam perdidos em uma confusão com outros animais malucos que querem dominar o mundo, enquanto os amigos de Max se unem para procura-lo. A partir do segundo ato, o ritmo decola e a ação se desenrola com uma narrativa fluida e muito engraçada, não deixando espaço para contemplações e filosofias.

Outro ponto positivo são as referências. Como é da mesma produtora é claro que os Minions aparecem pelo menos em dois contextos e até temos uma propaganda da próxima animação a estrear nos cinemas “Sing: Quem Canta Seus Males Espanta” num cartaz grudado atrás de um ônibus. Por outro lado, grandes produções também foram homenageadas, como uma imitação engraçadíssima de uma das cenas antológicas de “Alien: O Oitavo Passageiro” e até mesmo um diálogo do clássico “Quanto Mais Quente Melhor” de 1959, além do cartaz do inigualável “Pássaros” de Alfred Hitchcock, entre outros.

Com toda essa miscelânea de personagens, “Pets” consegue contar a sua história tão bem que o espectador cria afinidade com os personagens, chegando a deixa a porta aberta para uma continuação, o que seria muito merecida.

Curiosidades:
– Na casa cheia de gatos, a repórter do noticiário da TV é a mesma de “Meu Malvado Favorito”.
– A piranha ao qual o coelho Bola de Neve se abraça também é de “Meu Malvado Favorito”.
– O coelho Bola de Neve é uma homenagem ao coelho do curta da Pixar “Presto”, sendo que ambos pertenceram a um mágico.
– A musiquinha que o velho cachorro Pops geme é a trilha do clássico “A Felicidade Não se Compra” de 1949.
– A cena em que Bola de Neve fala do saudoso cisne Ricky, é uma homenagem ao filme “Os Donos da Rua” de 1991.
– A garota que adota Bola de Neve no final está vindo da festa de princesa que se passa em “Meu Malvado Favorito 2”.
– O próprio título do filme é uma homenagem à “A Vida Secreta das Palavras”.

Ficha Técnica

Elenco:
Louis C.K.
Eric Stonestreet
Kevin Hart
Jenny Slate
Ellie Kemper
Albert Brooks
Lake Bell
Dana Carvey
Hannibal Buress
Bobby Moynihan
Chris Renaud
Steve Coogan
Michael Beattie
Sandra Echeverría
Jaime Camil

Direção:
Chris Renaud
Yarrow Cheney

Produção:
Janet Healy
Christopher Meledandri

Fotografia:
Ken Schretzmann

Trilha Sonora:
Alexandre Desplat

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑