Procurando Dory (“Finding Dory”)

Toy Story” foi talvez a melhor trilogia de animação de todos os tempos, mas a Pixar escorregou um pouco nas continuações e spin-offs de “Carros”. Com “Procurando Dory”, ela volta aos trilhos onde, apesar de repetir a premissa do original, consegue utilizar uma abordagem diferente e, como sempre, encantadora.

Dory, que te problema de memória curta, tem um lampejo que, no momento em que encontra Marlin pela primeira vez em “Procurando Nemo”, na verdade ela estava procurando seus próprios pais dos quais se perdeu. Assim, ela imprime uma nova aventura em busca deles, o que vai levar nossos heróis a um Instituto aquático e de lá eles terão que tentar encontrar os pais de Dory e também dar um jeito de sair, provocando várias confusões.

O que a Pixar sempre entendeu – e sempre que ela faz esse enfoque, ela acerta – é que o arco emocional dos personagens e a dinâmica entre eles é tudo. Assim, dessa vez com Dory como protagonista, há todo um polígono emocional desenhado entre ela, Marlin, seus pais e o novo personagem, o polvo Hank. E essa dinâmica trata justamente de discutir o tema da conformação versus exploração do novo e até onde nossos sentimentos conseguem nos levar. Mesmo com temas contundentes o desenvolvimento sempre é leve e bem diluído num conteúdo para família com ótimas piadas e algumas boas referências aos filmes anteriores da Pixar (como sempre – veja nas curiosidades), além da produção em termos de efeitos digitais ser cada vez mais perfeita, a ponto de em certos ambientes ser difícil diferenciar uma cena feita por computador de uma em live action.

Procurando Dory” consegue ser uma continuação consistente e emociona mesmo que seu tema já tenha sido explorado na animação antecessor. É uma proeza para poucos. Ah, e tem cenas depois dos créditos!

Curiosidades:

– Referências ao mundo Pixar:
— O motorista do caminhão do último ato tem um band-aid com o desenho do protagonista de “Carros”.
— Numa das cenas dentro do Instituto é possível ver um calendário ao fundo com a foto de Wall-E.
— Na cena dos adolescentes no aquário, a menina que fica mais próxima do vidro é a protagonista de “Divertida Mente”.
— O caminhão do Pizza Planet de “Toy Story” aparece duas vezes: uma no fundo do mar na cena da perseguição pela lula gigante e outra na cena final da fuga sendo um dos carros na estrada.
— A placa do caminhão é CALA113, uma referência que aparece em todos os filmes da Pixar, apontando o instituto Call Arts na sala 113 onde a maioria dos principais diretores fudadores da Pixar estudaram.

– O polvo só tem 7 tentáculos porque a equipe da Pixar não conseguiu fazer um design com 8, o que seria o correto. Por isso a piada no filme de octupus para setetocpus. Inclusive desenhar um polvo com 8 tentáculos é um problema inerente em várias animações ao longo das décadas.
– No roteiro original, era pra ser um parque aquático, mas depois de uma controversa reportagem sobre o mal tratamento de criaturas marinhas em parques aquáticos, os roteiristas mudaram para instituto de pesquisa.
– Dory é o personagem da Disney-Pixar com mais likes no Facebook.
– Há uma cena que homenageia o clássico de ficção científica “Alien – O Oitavo Passageiro” (descubram), sendo que a protagonista Sigourney Weaver dubla ela mesma em “Procurando Dory”.
– E vejam o curta “Piper: Descobrindo a Vida” que passou no cinema antes de “Procurando Dory”:

Ficha Técnica

Elenco:
Ellen DeGeneres
Albert Brooks
Ed O’Neill
Kaitlin Olson
Hayden Rolence
Ty Burrell
Diane Keaton
Eugene Levy
Sloane Murray
Idris Elba
Dominic West
Bob Peterson
Kate McKinnon
Bill Hader
Sigourney Weaver

Direção:
Andrew Stanton
Angus MacLane

Produção:
Lindsey Collins

Fotografia:
Jeremy Lasky

Trilha Sonora:
Thomas Newman

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑