Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma 3D (“Star Wars: Episode I – The Phantom Menace”, EUA, 1999/2012) ***NOS CINEMAS***

George Lucas consegui a proeza de ser um “reinventor” de uma série de aspectos do cinema com apenas uma obra, ou um tema, por assim dizer. Ele reinventou a ficção científica com uma das sagas mais conhecidas do planeta; Reinventou a própria linguagem cinematográfica com a inédita e polêmica decisão de fazer o primeiro filme onde os créditos só surgiriam no final; Reinventou os efeitos especiais e com isso criou a mais famosa empresa do ramo batizada de Industrial Light and Magic; Reinventou o marketing para cinema criando os direitos de fabricação de brinquedos, jogos e outras peças baseadas em filmes. Aliás, foi isso, e não o “Guerra nas Estrelas” de 1977 que o deixou milionário; E também reinventou uma forma de ganhar dinheiro que é refazer uma obra já feita, acrescentando mais efeitos especiais, edições diferenciadas, etc. Dá sim muito dinheiro, mesmo que em detrimento da obra original e despertando a fúria dos fãs puristas.

Já na enésima mudança, agora foi a vez de transformar toda a saga de Anakin Skywalker para 3D e relançá-la nos cinemas. Difícil alguém não saber do que se trata, mas vamos lá: há muito tempo, numa galáxia muito distante, dois cavaleiros jedis, Qui-Gon Jin e Obi Wan Kenobi são mandados para Naboo para verificar um bloqueio feito pela federação de comércio, sem saber que há uma conspiração que vai revelar a sinistra raça dos sith. Na aventura eles ainda conhecem o garotinho Anakin, o qual tem chance de ser aquele da profecia que vai trazer o equilíbrio à força.

É lógico que fica difícil comentar um filme cuja aura de magia ofusca os próprios defeitos. E esses já são bem conhecidos: o inexpressivo Jake Loyd que interpreta o futuro Darth Vader, a infantilização demasiada com o chatíssimo personagem Jar Jar Binks (erro já cometido com os Ewoks no “Episódio IV”) e nas próprias batalhas (vide a última desta produção com Darth Maul), talvez por Lucas acreditar em um público ainda criança.

Entretanto há dois aspectos mais interessantes a se discutir. O primeiro deles se refere à própria novidade e motivo do relançamento, o 3D. Como todo filme que é filmado em técnica normal e depois convertido para 3D, o efeito fica apenas confinado a certos objetos, perdendo em muito a noção de profundidade. Em outras palavras, o 3D aqui é só pra constar. É claro que é uma experiência diferenciada, mas está há anos-luz de filmes originalmente em 3D como “A Invenção de Hugo Cabret”.

O outro ponto é a atual cronologia da narrativa. Sabemos que George Lucas filmou as três últimas partes e depois as três primeiras. Quem tem mais de 20 anos, passou pela mágica experiência de identificar no início da saga com a trilogia iniciada em 1999, todos os elementos e personagens que iriam formar tudo o que eles já tinham visto até o derradeiro “O Retorno de Jedi” em 1983. Agora, sendo apresentado para as novas gerações, o espectador desavisado (ou que tenha morado em outra galáxia) terá uma perspectiva totalmente diferente, já que partirá do zero, caso não tenha ciência da trilogia antiga que se passa cronologicamente após a nova (confuso, hein?).

Apesar de ser mais um caça-níqueis na sempre esperta jogada de marketing de George Lucas, não dá pra deixar de comemorar (principalmente os geeks) o relançamento da saga que imortalizou todos os envolvidos e que revolucionou a história do cinema e do marketing. Que a força esteja com ela.
[rating:3.5]

Ficha Técnica

Elenco:
Liam Neeson
Ewan McGregor
Natalie Portman
Jake Lloyd
Ian McDiarmid
Pernilla August
Ahmed Best
Anthony Daniels
Kenny Baker
Frank Oz
Terence Stamp
Brian Blessed
Andrew Secombe
Ray Park
Lewis Macleod
Warwick Davis
Silas Carson
Jerome Blake
Alan Ruscoe
Celia Imrie
Benedict Taylor
Clarence Smith
Samuel L. Jackson
Dominic West
Karol Cristina da Silva
Liz Wilson
Candice Orwell
Sofia Coppola
Keira Knightley

Direção:
George Lucas

Produção:
Rick McCallum

Fotografia:
David Tattersall

Trilha Sonora:
John Williams

 

1 Comment

Leave us a comment

  • Tony Marinho
    on

    Excelente filme e muito bom o 3D.
    É importante salientar que não podemos comparar episodio 1 com outros filmes filmados com cameras exclusivamente em 3D.
    Então, sendo assim, existe dois tipos de filmes 3D, os filmes filmados com as cameras apropriadas e os convertidos de 2D p 3D.
    O Episodio I se enquadra na primeira opção e está entre os melhores filmes ja convertidos, na minha opiniao.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑