Caminho da Liberdade (“The Way Back”, EUA, 2010)

Genre : ,

Baseado nas memórias de Slavomir Rawicz ao fugir de uma prisão na Sibéria e percorrer cerca de 6.400 km até chegar à Índia, o filme mostra o alter-ego Janusz (Jim Sturgess de “Marca da Vingança”) que foi preso na Sibéria e sua fuga junto com um grupo de amotinados em direção á Índia e os diversos obstáculos mortais no caminho.

Contando com grandes atores como Ed Harris (“Appaloosa – Uma Cidade Sem Lei”) sempre correto; Colin Farrell (“A Hora do Espanto”), melhor em cena e com um sotaque hilário, porém sempre ameaçador; e da bela Saoirse Ronan (“Hanna”), além do próprio Sturgess esbanjando talento, o diretor Peter Weir (“Mestre dos Mares”) conseguiu construir uma narrativa que, apesar de episódica (nevasca, tundra, deserto, etc) consegue dois feitos: ao mesmo tempo em que prende a atenção do espectador – o que não é fácil, já que são mais de duas horas – também provoca a experiência de saturação de uma viagem feita sem praticamente nenhum mantimento ou comida.

Costuma fugir do clichê e mesmo podendo dar um tom de ação à trama, preferiu abraçar o drama, sendo que as maiores dificuldades e perdas são feitas de forma lenta pela própria força da natureza e fraqueza do ser humano. Todos os mais diversos cenários funcionam como playground para o talentosíssimo diretor de fotografia Russell Boyd (“Motoqueiro Fantasma”), o qual consegue extrair os melhores ângulos de cada ambiente.

Caminho da Liberdade” é um raro caso onde tudo funciona a contento, desde a atuação, passando por uma história comovente, mas sem exageros ou clichês, uma direção firme a aspectos técnicos feitos com extremo cuidado, provocando um resultado geral muito acima da média. Recomendadíssimo.
[rating:4]

Ficha Técnica

Elenco:
Jim Sturgess
Colin Farrell
Ed Harris
Saoirse Ronan
Mark Strong
Dragos Bucur
Alexandru Potocean
Gustaf Skarsgard
Sally Edwards
Sebastian Urzendowsky
Igor Gnezdilov
Dejan Angelov
Mariy Grigorov
Nikolay Stanoev

Direção:
Peter Weir

Produção:
Duncan Henderson
Joni Levin
Nigel Sinclair
Peter Weir

Fotografia:
Russell Boyd

Trilha Sonora:
Burkhard von Dallwitz

 

4 Comments

Leave us a comment

  • Jean Carlos da Rocha
    on

    Bom filme, boa historia, cenas limpas e bom foco.

    Collin Farrel atua muito bem, mas eu consideraria ele até o final do filme ou ele seria o protagonista.

    Mas mesmo assim, bom filme.

  • Juliano
    on

    Filme emocionante! Muito muito bom.
    Conseguiu me prender a atenção por suas mais de duas horas.
    A atuação de Colin Farrell esta boa demais. Alias, depois de Força Policial, Quero Matar meu Chefe e este filme, virei fã do trabalho do ator!

    Enquanto assistia, tive que parar para olhar o mapa, sou muito curioso.
    Achei o site http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI231375-15220,00.html (mas ainda não o vi este matéria por inteiro)

    Fiquei confuso, pois o filme é “baseado nas memórias de Slavomir Rawicz” e ao final dos créditos existe a mensagem de que é uma obra de ficção e qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.
    Me pareceu uma contradição.

  • Juliano
    on

    Continuando…

    Sou bastante curioso, comprei o livro e terminei de ler recentemente.
    Primeira vez que leio uma obra que foi transformada em filme, ou vice-versa. Interessante como o filme é apenas baseado na história.

    E vou assistir ao filme novamente… só espero não querer ler o livro quando terminar de assistir o filme e ficar nessa repetição rsrs

  • saullo
    on

    começo este comentario colocando esta frase que está no link enviado pelo juliano:”O espectador fica com frio, sede, calor, quase que sente o sabor da cobra que serve de refeição a eles no deserto.”

    engraçado…lembro que na hora do poço senti uma sede muito grande,onde tive que pausar o filme e correr para a cozinha para beber água. =)

    a atuaçao de Farrel chega a ser assustadora de tao boa…juro que esse cara subiu muito no meu conceito depois desse filme.

    a maquiagem, as atuaçoes, os cenarios, o clima do filme como um todo…tudo muuuuuito bom!mas…como nada é perfeito, tenho que dizer que nao fiquei muito satisfeito com alguns cortes…tipo a hora em escapam da prisao…foi meio que do nada, meio como se faltasse algumas cenas ali…ou uma cena principal mais detalhada…algumas partes do filme tem isso, nao so nesse momento, mas nada que realmente chegue a atrapalhar o contexto.

    filme recomendadissimo. e apesar de bastante longo, nao é nem um pouco cansativo.

    destaque para a cena do poço no deserto. =)

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑