(A) Fronteira (“Frontièr(s)”, França, 2007)

Genre :

[youtube ucWq16FWNak]

Uma mistura de “Massacre da Serra Elétrica”, “Viagem Maldita” e “O Albergue”, só que numa produção francesa. Após um conflito nas ruas de Paris, quatro jovens se refugiam num albergue perto da fronteira da França, mas descobrem que seus donos são de uma família louca e canibal.

Quando um roteiro é muito parecido com outros já batidos à exaustão, cabe a seu diretor segurar a barra e superar os outros exemplares em quesitos como tensão e violência. E aí o diretor Xavier Gens (“Hitman”) consegue ser muito bem sucedido. Primeiro na condução do elenco, o qual convence tanto nos níveis de insanidade, quanto tensão e medo. Segundo se supera em violência, mas tendo o cuidado de fazê-la sempre com um propósito do roteiro e não apenas para jorrar mais sangue na tela.

E finalmente o roteiro é consistente o bastante para não insultar a inteligência do expectador e leva-lo a pensar que é perfeitamente possível o desfecho dado a trama. Com exceção de um ou outro clichê, “(A) Fronteira” consegue ser um exemplar de terror que vale a pena ser locado para atender a todo tipo de fã do gênero.

[rating:3.5]


Ficha Técnica

Elenco:
Karina Testa
Aurelien Wiik
Patrick Ligardes
David Saracino
Maud Forget

Direção:
Xavier Gens

Produção:
Laurent Tolleron

Fotografia:
Laurent Bares

Trilha Sonora:
Jean-Pierre Taïeb

 

1 Comment

Leave us a comment

  • Clayton
    on

    Realmente é a mistura de vários filmes procurando manter o mérito de cada um. Haverá sempre a expressão “já vi cenas assim”, talvez a grande novidade seja o nível de inteligência dos personagens, nada daqueles casais cheios de libido, morrendo nus ao tentar fugir pelo mato, nada do mocinho, nada dos clichês de final feliz. O roteiro até se dá ao trabalho de explicar a conservação dos corpos e a origem de cada membro da “família”. Talvez tenha faltado uma atuação mais enfática do patriarca da família, ficou meio caricata e não demonstra ascensão sobre um dos filhos.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑