A Mensageira (“The Courier”)

Filme de ação Bzão (no mal sentido) onde Olga Kurylenko de “Viúva Negra” é uma ex-militar (portanto, cheia das habilidades) que trabalha como uma entregadora especial com encomendas que envolvem perigo.

Num dos trabalhos, ela vai entregar uma certa caixa essencial para a testemunha contra o criminoso Mannings, na pele de Gary Oldman de “O Terror da Guerra” que, de tão clichê, ainda usa um tapa olho como aqueles típicos vilões de James Bond.

Daí quando tudo dá errado, ela e a tal testemunha chata pra caramba (Amit Shah de “Refém do Jogo”) passam quase o filme inteiro dentro do estacionamento de um prédio tentando se esconder e fugir do bando que está atrás deles.

Já começa que é meio impraticável esse cenário num estacionamento que aparentemente tem apenas 3 níveis e com um bando numeroso de bandidos, que nossos heróis consigam se esconder (e às vezes até atacar) tão bem. Mais difícil ainda de acreditar que, num estacionamento cheio de carros, que ninguém tenha tentado chegar lá, percebido que as portas estão trancadas e avisado às autoridades.

Só que fica um pouco pior: o roteiro vai mudando as regras ao longo da ação. No início todas as portas estavam trancadas e, de repente, há uma aberta. E mais uma… e tem um momento que eles até chegam no terraço. Também serve para as armas: eles estão desarmados até que a protagonista aparece do nada com uma arma. Fora o fato já citado que o ator Amit Shah interpreta um personagem que de tão chato e arrogante, dá vontade de torcer contra.

Com exceção de Oldman – que não faz muita coisa, além de sentar e levantar de uma cadeira – e Kurylenko que consegue se estabelecer como um personagem interessante e digna de se ver em outra oportunidade, mesmo que o roteiro às vezes jogue contra (a subtrama do irmão jogada a três porradas no espectador é de matar), todos os demais coadjuvantes parecem ter saído de um casting excluído de Malhação, por exemplo, William Moseley de “As Crônicas de Nárnia” que interpreta o vilão operacional mais “chiliquento” e afetado do cinema e sua performance chega a dar dor de cabeça.

Num cenário tão desfavorável é até uma surpresa que o diretor consiga desferir cenas de ação e luta até que muito boas e algumas com uma violência gráfica invejável em relação a produções mais bem escritas e elegantes.

Claro que o desfecho não tem pé nem cabeça e o jeito é esperar que façam um filme decente com essa personagem que pode muito bem caracterizar mais uma heroína no melhor estilo em que Jason Statham fez o seu “Carga Explosiva”. Dá pra consertar, mas tem que ter vontade e criatividade.

Curiosidades:

– Gary Oldman filmou sua participação em apenas 2 dias.
– As filmagens principais duraram apenas 18 dias.
– A ópera que o personagem de Gary Oldman está escutando na cena em que ele é preso se chama Il dolce suono e propositalmente é a mesma usada no filme de 1997 “O Quinto Elemento” em que ele também é o vilão.

Ficha Técnica

Elenco:
Olga Kurylenko
Gary Oldman
Amit Shah
Alicia Agneson
Greg Orvis
Craig Conway
William Moseley
Dermot Mulroney
Calli Taylor
Lee Charles
Gordon Alexander
Neil Chapelhow
Renars Latkovskis
Al Holland

Direção:
Zackary Adler

Produção:
James Edward Barker
Marc Goldberg
David Haring
Andrew Prendergast

Fotografia:
Michel Abramowicz

Trilha Sonora:
James Edward Barker
Tim Despic

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑