A Verdade Nua e Crua (“The Ugly Truth”, EUA, 2009) ***NOS CINEMAS***

Genre : ,

[youtube emOPbYWC1ms]

Homem e mulher que começam o filme se odiando e terminam se amando já não é mais tão original quanto era há… 30 anos atrás. Mas o mundo não pode ficar sem uma comédia romântica, pelo menos a cada dois meses, e cá está essa pra chamar os casais de volta ao cinema do fim de semana.

Katherine Heigl interpreta o mesmo papel que fez em “Vestida Para Casar” e “Ligeiramente Grávidos“: uma mulher independente e controladora, mas totalmente inapta para iniciar um relacionamento. No caso aqui ela é Abby, uma produtora de um programa de variedades da televisão. Com os índices de audiência caindo, seu chefe contrata para o programa dela um comentarista sobre sexo machista e grosseiro, Mike (Gerard Butler de “RocknRolla“). Isso tudo para desespero de Abby, a qual sempre se pautou em altos níveis de qualidade. As faíscas são imediatas, até que eles fazem um trato para que Mike ajude Abby a conquistar seu vizinho. E daí o enredo caminha pra onde todo mundo já sabe.

O que faz essa produção estar um pouquinho (mas só um pouquinho) acima de média é o carisma brucutu de Butler e a beleza e sorriso de Heigl. Apesar do personagem Mike ter sido bem trabalhado, induzindo o espectador a acreditar que com o tempo, ele poderia vir a se apaixonar por Abby, a recíproca não é verdadeira: de uma hora pra outra o roteiro liga uma chave e de repente ela se apaixona. Pior é a perceptível cena onde isso acontece, quando ele pede água da torneira num restaurante. Sem dúvida, uma péssima decisão. Daí pra frente é tudo igual e todos os clichês do gênero berram para a platéia.

A Verdade Nua e Crua” se aproveita bem dos atores, mas o diretor Robert Luketic (“Quebrando a Banca“) escorrega a partir do segundo ato, transformando o que poderia ser uma ótima comédia romântica em algo apenas bom, porém esquecível. Vale para levar o par.

[rating:3]


Ficha Técnica

Elenco:
Katherine Heigl
Gerard Butler
Bree Turner
Eric Winter
Nick Searcy
Jesse D. Goins
Cheryl Hines
John Michael Higgins
Kevin Connolly

Direção:
Robert Luketic

Produção:
Kimberly di Bonaventura
Gary Lucchesi
Deborah Jelin Newmyer
Steven Reuther
Tom Rosenberg
Kirsten Smith

Fotografia:
Russell Carpenter

Trilha Sonora:
Aaron Zigman

 

3 Comments

Leave us a comment

  • saullo
    on

    queria ver eles tomando água da torneira aqui no brasil. no minino iam pegar uma ameba.

    também nao entendi muito essa coisa dela ir se apaixonando por ele, tipo…ela tava doida pelo outro cara, a unica coisa q a deixava um pouco triste era justamente o fato de ele ser perfeito demais p ela, o q nao seria motivo p terminar nada. entao do nada ela se apaixona pelo ex sarado e agora gordinho,Rei Leônidas.

    outra porcaria foi o final, mermao…AUSHAUHUAHSUAHUAHS…dá até vontade de rir daquela tosquice…nada levava nenhum dos dois a subir no balao…

    resumindo, o filme nao vale nada, mas o sorriso da loirinha vale, e vale muuuuito =)

  • Juliano
    on

    Gostei deste filme, e achei justa suas três estrelas para ele.

    Estava gostando muito do filme, até o momento em que o, ainda não oficial, casal dança e em seguida vem a cena do elevador… à partir dai, ficou sem graça, foi apenas “bonitinho” (para quem gosta de comédias românticas)

    Ótima critica Aldo!

  • Clayton
    on

    Tudo que merecia ser lembrado a respeito desse filme já foi dito. Acrescento apenas a linguagem vulgar que fez um contraponto simpático com o sorriso de Katherine Heigl, e a sua dancinha de felicidade que de tão imbecil diverte. Vale pra marcar pontos com a patroa, ainda mais no dia 06/09, dia do sexo!

Leave a Reply to Clayton Cancel Reply

↑ BACK TO THE TOP ↑