Anjos & Demônios (“Angels & Demons”, EUA, 2009) ***NOS CINEMAS***

Genre : ,

[youtube 4AOuOx96p1k]

Primeiramente é bom colocar que a resenha escrita é sobre o filme, não sobre o livro. A tão esperada continuação de “Código da Vinci“, mas que na verdade foi baseada no livro que Dan Brown escreveu antes deste. Dessa vez Tom Hanks (“Jogos do Poder“) abandonou aquele corte de cabelo ridículo para viver um Robert Langdom muito mais coeso. Ele é enviado ao Vaticano para desvendar uma ameaça terrorista de um grupo radical contra a igreja católica, chamado Illuminati. Aparentemente, eles raptaram quatro cardeais e prometem explodir o Vaticano. E tudo deve ser resolvido em menos de 24 horas, próximo da nomeação do Papa sucessor.

Muito mais confortável com o papel, Hanks consegue uma ótima evolução com um senso de urgência crescente à medida em que os fatos se desenrolam. Livre do devaneio que foi “Código da Vinci“, “Anjos e Demônios” tem um roteiro mais pé no chão e pega as partes boas de seu antecessor e mistura com o que saga “A Lenda do Tesouro Perdido” poderia ter sido se fosse sério e dá como resultado um suspense de ação de primeira linha.

Não que seja impossível desvendar o enigma (mesmo quem não leu o livro tem condições de matar a charada), mas sempre é interessante degustar aos poucos o modus operandi da trama. Tem coadjuvantes de peso como Ewan McGregor (“A Lista“) como o atencioso Carmelengo e Stellan Skarsgard (“Sombras de Goya“) como o chefe de polícia, os quais são quase antagonistas entre si, não por coincidência.

O diretor Ron Howard, também de “Código da Vinci“, soube salpicar o humor sem tornar a narrativa escorregadia e conseguiu imprimir um ritmo frenético para uma história que envolve mais resolução de mistérios que ação propriamente dita. Merece destaque também a reconstituição de muitos cenários do Vaticano, já que a igreja católica não deixou a produção filmar em loco. “Anjos e Demônios” cumpre bem seu papel de ação arrasa-quarteirão da temporada sem insultar a inteligência do espectador. E pelo sucesso, Langdon já tem um novo mistério pela frente em 2011.

[rating:3.5]


Ficha Técnica

Elenco:
Tom Hanks
Ewan McGregor
Ayelet Zurer
Stellan Skarsgard
Pierfrancesco Favino
Armin Mueller-Stahl
Thure Lindhardt

Direção:
Ron Howard

Produção:
John Calley
Brian Grazer
Ron Howard

Fotografia:
Salvatore Totino

Trilha Sonora:
Hans Zimmer

 

3 Comments

Leave us a comment

  • curare
    on

    Até hoje não consegui assistir o filme código da vince até o final. Vi ao estilo Jack o estripador: Em partes. Mas confesso que me animei com a crítica do Aldo e assim que possível vou assistir a essa pseudocontinuação.
    Pelo amor de Zeus! Aldo quando vamos poder assistir uma comédia de alto nível? Ou um filme que possamos lembrar depois de 20 anos. Alguém conhece uma comédia que tenha deixado tão boas lembranças como “Os Safados” ( Dirty Rotten Scroundels) de 1988?

  • saullo
    on

    “sem insultar a inteligência do espectador”…é…parece q nao vimos o mesmo filme entao, pq o q eu vi foi uma “mentiroba” pura.
    o cara leva tiro e é como se nao tivesse acontecido nada, logo no começo já dá p saber quem é o cara mau da historia, Tom Hanks parece um computador, mas o problema nem está ae nesse superfodasticodocaralho cerebro dele, mas no fato de ele olhar do nada p alguma coisa e falar “é isso ae, o misterio está ali naquele negocio que ninguém ta olhando, e eu sei disso pq os maias, junto com os astecas, os metecas e os hipotecas esconderam ali”. ¬¬
    mermao, fico puto com filmes assim, onde as coisas simplesmente acontecem pq acontecem, sem motivos, sem razoes.
    e outra coisa, quem ficaria no vaticano até o fim, sendo ateu ainda por cima, sabendo que em poucas horas tudo explodiria?

    o primeiro filme, q na verdade é o segundo (O.o), ainda tinha alguma logica, e o final foi bem do caraleo, mas esse segundo, que na verdade é o primeiro (O.o2), nao teve nada q prestasse.

  • Daniel BZ
    on

    Achei o primeiro muito fraco a intrepataco de Tom Hanks no primeiro filme me fez perder muito de ve-lo como excelente ator parece que outra pessoa ( Um Roberto Justus ) sem experiencia nenhuma em atuacao encarnou-se nele. QUando vi que o filme teria uma continuacao eu pensei mais um filme de horrivel interpretacao de Tom, e pelo que saullo esta dizendo apesar da boa pontuacao do Aldo e do respeito que eu tenho por ele como critico. Eu prefiro nao assiste esse filme. Primeiro porque nao gosto do escritor, segundo porque nao quero desprezar Tom Hanks como ator de uma vez vendo mais uma atuacao de “Roberto Justus”. Infelizmente Hanks nao teve nenhum cuidado de dar uma personalidade e uma emocao ao personagem.

Leave a Reply to curare Cancel Reply

↑ BACK TO THE TOP ↑