Avatar (EUA, 2009) ***NOS CINEMAS***

Na crítica ao fraco “2012“, disse que depois de acabar com a Terra de várias maneiras diferentes com efeitos especiais de ponta, agora se o diretor tivesse que fazer algo parecido, teria que ser em outro planeta. Interessante ver que James Cameron utilizou conceito semelhante: pegou uma trama relativamente simples e a transportou para um universo fantástico provocando um espetáculo visual, mas sem deixar a preocupação principal com os personagens.

Imagine que no velho oeste os colonizadores americanos, ambiciosos por ouro e petróleo, tentam deslocar os índios de suas terras para poder iniciar a exploração. Para isso chamam um cowboy de etnia indígena no intuito de tentar uma saída diplomática, mas que no final vai acabar em guerra, sendo que, de quebra, o mocinho se apaixona pela índia e acaba defendendo os nativos. Lembram desse tipo de trama? Agora encarem assim: num futuro longínquo os humanos descobrem num planeta afastado uma reserva de um minério valioso chamado unobtenium (analogia com “aquilo que não pode ser obtido). O problema é que essa reserva fica justo onde uma tribo de alienígenas, conhecidos como Na’vi, mora. Com a genética de última geração, os cientistas criaram clones dos Na’vis misturando DNA humano e assim eles são controlados à distância pelos doadores de DNA. Esses clones são os avatares. Sam Worthington de “O Exterminador do Futuro – A Salvação” é Jake combatente que ficou paraplégico e após a morte do irmão gêmeo, dono do avatar, é recrutado para substituí-lo já que tem DNA semelhante. O que acontece a partir daí é bem parecido com a trama de cowboys versus índios.

Só que muito mais que uma história a ser contada, “Avatar” é como uma experiência inédita e única para o espectador que deve usar todos os sentidos e sentimentos para aproveitá-la ao máximo. Só de pensar que para a realização desse filme, uma nova tecnologia teve que ser criada – o que levou anos – e uma nova língua foi elaborada, além da concepção de todo um ecossistema interligado por ondas eletromagnéticas, já deixa essa produção, no mínimo, com um caráter mítico. Os efeitos são tais que você esquece de estar vendo em grande parte apenas CGI, isto é, pixels sobre a tela. Ao contrário, é como se aquela raça existisse com todas as formas, cores e emoções de qualquer elenco de carne e osso.

Cameron faz belíssimas referências: a destruição do World Trade Center no 11 de setembro é praticamente reconstituída aqui de forma surpreendentemente gráfica. O tema da violência gerar violência, tão em voga com os conflitos no Oriente Médio com os EUA também são representados bem. E notem que em todas as referências, os americanos estão no papel do grande vilão, ou melhor, da grande máquina capitalista, o que gera alguns estereótipos aqui e ali. Mas nada se compara a ver mais uma vez a união do diretor com sua musa, Sigourney Weaver, estrela da saga “Alien” que trabalhou com Cameron no brilhante “Aliens – O Resgate“. Vejam como as câmaras para conexão com o Avatar se parecem com as capsulas de sono de “Alien“. E o que dizer da luta final onde claramente temos o homem dentro de uma máquina e um alienígena, só que em papéis invertidos ao da Tenente Ripley o monstro?

Avatar” é uma ficção científica que mostra seu criador tão em forma quanto em “Titanic” ou em qualquer outra produção sua. Dava pra ficar horas falando sobre o filme. Mas é bem melhor correr pro cinema e ver o resultado. Imperdível.

Obs: No final um personagem fala a palavra bithday, a qual é traduzida como aniversário pela legenda. A tradução correta é a litera: dia do nascimento.

[rating:4.5]


Ficha Técnica

Elenco:
Sam Worthington
Zoe Saldana
Sigourney Weaver
Stephen Lang
Michelle Rodriguez
Giovanni Ribisi
Joel David Moore
CCH Pounder
Wes Studi
Laz Alonso

Direção:
James Cameron

Produção:
James Cameron
Jon Landau

Fotografia:
Mauro Fiore

Trilha Sonora:
Clint Mansell

 

2 Comments

Leave us a comment

  • felipe
    on

    simplismente fantastico.
    tudo estava perfeito nesse filme os efeitos, os atores a trilha sonora,
    sem contar em como é bom ver a Sigourney Weaver atuando…
    cenas que não vou esquecer tão cedo…
    com certeza melhor filme de Cameron, e um dos melhores da década….

  • Prof. João Valente de Miranda
    on

    Meu comentário sobre p filme AVATAR segue no link abaixo. Fico mui agradecido aos amigos que o lerem. [JV].
    LINK:

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑