Carros 3 (“Cars 3”)

Se formos conceituar franquia cinematográfica como uma série de mais de 2 filmes ou animações exibidos no cinema, a Pixar tem 2 franquias até o momento: “Toy Story” com 4 partes, e “Carros” com 3 partes. Coincidentemente ambos centrados em seres que na realidade seriam inanimados (brinquedos e carros respectivamente) tentando achar seu lugar no mundo (das crianças e das corridas respectivamente). A diferença é que, enquanto “Toy Story” traz histórias completamente diferentes em cada parte, provocativos e que evoluem com o destino de seus personagens, “Carros” parece uma repetição do mesmo ponto em cada parte. Nessa sequência, inclusive, parece-se muito com o primeiro mais alguns ajustes de passada de bastão.

Nosso herói Lightning McQueen já está velho para as corridas com a chegada de novatos mais modernos, o que o leva a repensar a carreira para ver se vale a pena continuar ao mesmo tempo em que busca aconselhamento com o mentor de seu mentor (trama quase idêntica ao do original). Quem o ajuda é sua nova e espevitada treinadora Cruz Ramirez cujo sonho é ser corredora.

A volta dos personagens é sempre bem-vinda, mesmo que fazendo aquilo que já faziam antes, mas não deixa de ser incômodo que é como se a personalidade do protagonista tenha regredido aos patamares de antes. Mais estranhos ainda é que no curso da história não se entende muito bem como ele melhora para enfrentar seu principal adversário, o novato Jackson Storm, já que os esforços de McQueen nunca parecem suficiente.

E para finalizar, ainda mais e mais estranho é a reviravolta de Cruz Ramirez no final, pois, apesar de estarmos assistindo a uma animação onde (quase) tudo é possível, fica o elefante atrás da orelha da completa impossibilidade daquele desfecho só porque o roteirista quis cumprir uma agenda de passada de bastão.

Carros 3” é um bom filme. O problema é que ele repete o tema do primeiro. Aliás, ele poderia até ser um primeiro tão bom quanto. Para uma criança acostumada com repetição não é problema. Mas não abrange todo o potencial criativo que poderia ter.

Curiosidades:

– Na cena em que Cruz põe uma música para um carro nervoso na esteira, na TV aparece uma cena de “Viva – A Vida é uma Festa
– Quando liga a esteira de carros o com é o mesmo de ligar um Macintosh da Apple. Esse som também aparece em “Wall-E”.
– O patrocinador de um dos novatos é a “Triple Dent Gum” que fez o comercial em “Divertida Mente” que incomodava o Raiva.
– O abajur da logo da Pixar pode ser visto no teto de um dos carros que participam na corrida da demolição na lama.
– O cabalístico número A113 da classe de arte dos fundadores da Pixar pode ser visto na porta do escritório de Sterling. Na sala dele também pode ser visto uma miniatura da carruagem de “Cinderela”.
– Lightning fala “Wow!” 9 vezes no filme, marca registrada de seu dublador Owen Wilson.
– O easter egg do caminhão da Pizza Planet aparece na corrida de destruição na lama.
– O premiado corredor de Fórmula 1 Lewis Hamilton faz a voz do computador de Cruz Ramirez.

Ficha Técnica

Elenco:
Owen Wilson
Cristela Alonzo
Chris Cooper
Nathan Fillion
Larry the Cable Guy
Armie Hammer
Ray Magliozzi
Tony Shalhoub
Bonnie Hunt
Lea DeLaria
Kerry Washington
Bob Costas
Margo Martindale
Darrell Waltrip
Isiah Whitlock Jr.
Bob Peterson
Guido Quaroni
Tom Magliozzi
John Ratzenberger
Kyle Petty
Lewis Hamilton
Lloyd Sherr
Junior Johnson
Ray Evernham
Paul Newman
Cheech Marin
Humpy Wheeler
Katherine Helmond
Paul Dooley
Jenifer Lewis

Direção:
Brian Fee

Produção:
Kevin Reher

Trilha Sonora:
andy Newman

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑