O Esquadrão Suicida (“The Suicide Squad”)

Tinha que ser o James Gunn mesmo! O mago por trás da ambos “Os Guardiões da Galáxia” da Marvel (e que já está filmando a parte 3) conseguiu fazer o novo filme da DC tão há anos luz do incipiente original que nem se deu ao trabalho de chamá-lo de parte 2, sendo que a única diferença do título é o artigo masculino “O” antes de o “Esquadrão Suicida”.

Liberdade criativa foi o essencial: ele pegou os personagens que quis, sendo a grande maioria do segundo nível da própria DC e desconhecidos do grande público, com exceção de alguns como a nossa deusa Arlequina, botou uma violência foram do comum ao mesmo tempo em que descambou para uma comédia rasgada que consegue fazer parte da essência da trama ao invés de prejudicá-la.

Gunn dispensa a morosa apresentação da miríade de personagens e já começa logo na ação, sabendo muito bem como contar a história deles rapidamente, fiel aos quadrinhos, mas sem perder tempo. O Esquadrão se junta novamente com mais personagens para deter um misterioso projeto “Estrela do Mar” que pode ser capaz de acabar com a humanidade sem saber que propósitos obscuros tem a mentora da operação Waller (Viola Davis repetindo seu papel).

Uma das grandes sacadas da história foi não poupar seus próprios heróis, com mortes chocantes de personagens que seriam impensáveis de morrer se a trama fosse menos surpreendente. As cenas de violência são uma atração à parte com tripas e sangue para todos os lados, elevando o nível onde a rival Marvel / Disney não se atreveria a chegar. Incluindo criações artísticas como a sequencia da fuga da Arlequina onde o sangue é substituído por flores ou cenas cômicas como o massacre de um grupo armado, cujo desfecho é uma das coisas mais engraçadas do filme.

O figurino chega a ser espalhafatoso e fora da realidade, inclusive da própria criatura alienígena, mas tudo é proposital: incrível como mesmo os exageros e caricaturas combinam com a narrativa quando ela é bem desenhada.

O Esquadrão Suicida” talvez seja o melhor da DC nos últimos anos, transpondo os quadrinhos para a tela grande com uma originalidade pouco vista, linguagem inovadora e ação e comédias eletrizantes.

Curiosidades:

– O desconhecido ator Steve Agee faz dois papéis no filme: o do analista de Waller e também o do Tubarão-Rei, Nanaue, cuja voz é de ninguém menos que Sylvester Stallone.
– Sean Gunn, ator e irmão de James Gunn, que sempre aparece em seus filmes também faz dois papéis: o da Doninha e o do Homem Calendário, numa ponta onde ele aparece na prisão fazendo bullying com a encantadora de ratos.
– No primeiro “Esquadrão Suicida“, Harley Quinn tinha a tatuagem escrita “Propriedade do Coringa”. Já neste a mesma tatuagem está escrita “Propriedade de Ninguém”, fazendo uma leve correlação com os acontecimentos em “Aves de Rapina”.
– O criador da história em quadrinhos que deu original ao filme faz uma participação especial como o médico que injeta o explosivo na cabeça de Savant.
– O cabeça da Marvel Kevin Fiege e o presidente Luis D’Esposito foram visitar James Gunn nos sets. Ele apresentou tudo sem revelar nenhum detalhe. Olha a concorrência!

Ficha Técnica

Elenco:
Margot Robbie
Idris Elba
John Cena
Joel Kinnaman
Daniela Melchior
Sylvester Stallone
Sean Gunn
Alice Braga
Peter Capaldi
David Dastmalchian
Nathan Fillion
Jai Courtney
Viola Davis
Michael Rooker
Steve Agee
John Ostrander
Flula Borg
Mayling Ng
Pete Davidson
Stephen Blackehart
Tinashe Kajese
Jennifer Holland
Storm Reid
Mikaela Hoover
Julio Cesar Ruiz

Direção:
James Gunn

Produção:
Charles Roven
Peter Safran

Fotografia:
Henry Braham

Trilha Sonora:
John Murphy

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑