Sem Tempo Para Morrer (“No Time to Die”)

É um ótimo filme do agente James Bond que é potencializado mais pelo que representa do que pelo que apresenta. Tão importante quanto: conserta o que foi a bobagem “007 – Contra Spectre”, talvez o pior episódio do arco de Daniel Craig na série.

É um filme de muitas primeiras vezes (algumas que não podem ser ditas) e talvez de algumas últimas vezes, como a própria despedida de Daniel Craig do papel de Bond. É a primeira vez que a sequencia inicial não traz o agente protagonizando. É a primeira vez que ele se aposenta de verdade e, inclusive, é substituído por uma agente 007 (Lashana Lynch de “Capitã Marvel”).

Depois de uma aparente traição do amor de sua vida, Madeleine (Léa Seydoux também vista em “O Lagosta”), Bond se isola, mas 5 anos depois uma ameaça biológica (alguém falou em vírus criado em laboratório que se espalha pelomundo?) o faz voltar à ativa e ainda tem que enfrentar um misterioso passado de Madeleine que converge para um novo e perigoso vilão, aqui na pele de Rami Malek de “Os Pequenos Vestígios”.

O diretor Cary Joji Fukunaga do sensacional “Beast Of No Nation” fez um filme pé no chão, sem cenários surreais, pegando a essência da série e colocando em cenas eletrizantes que, na maior parte, são bastante centradas, com pouquíssimos efeitos digitais, sendo a maioria mecânicos mesmo, e ainda menos sequencias das quais um expectador classificaria como mentira deslavada. Isso não só dá o tom de realidade como faz com que haja uma afinidade ainda maior com os personagens, fazendo-os vulneráveis como nunca. Ainda teve a ousadia de salpicar o humor na hora certa: toda a sequencia Craig e a linda Ana de Armas tem uma mistura cômica ótima, principalmente frente da pesada narrativa que se segue até o final.

O desfecho que é, talvez o mais forte da franquia inteira, foi construído em cima de uma história que está dentro do manual das produções do 007, com apenas algumas variações, mas a questão pessoal, isto é, a dinâmica dos personagens tanto dentro da tela quanto para o público faz toda a diferença e faz com que Craig inaugure o primeiro arco de história de um personagem, enquanto os outros filmes de 007 por melhores que fossem, sempre tinham o mesmo sentido de continuidade eterna. Pode-se dizer que a era Daniel Craig está para 007 como a era Christian Bale esteve para o Cavaleiro das Trevas.

Sem Tempo Para Morrer” toca em temas relevantes para seus personagens e para o mundo e talvez seja o mais sentimentalista da série, o que, misturado com ação desenfreada em sua maior parte, dá um resultado acima das expectativas.

Ficha Técnica

Elenco:
Daniel Craig
Léa Seydoux
Rami Malek
Lashana Lynch
Ralph Fiennes
Ben Whishaw
Naomie Harris
Christoph Waltz
Ana de Armas
Jeffrey Wright
Rory Kinnear
Billy Magnussen
David Dencik
Dali Benssalah

Direção:
Cary Joji Fukunaga

Produção:
Barbara Broccoli
Michael G. Wilson

Fotografia:
Linus Sandgren

Trilha Sonora:
Hans Zimmer

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑