Snake Eyes (“Snake Eyes: G.I. Joe Origins”)

Já que aparentemente Hollywood não tinha nada para fazer, resolveram brincar com um spin-off do mediano “G.I. – Joe” e, como previsto, saiu pior.

Contando a origem do personagem Snake-Eyes (aquele que não fala nos filmes), pelo menos aqui ele começa falando, agora na pele do ator meio canastra Henry Golding de “Magnatas do Crime”. Ele vê seu pai ser assassinado e jura vingança. Mais tarde se infiltra num clã japonês com a promessa de que vai conseguir encontrar o algoz do pai, mas mal sabe que está sendo manipulado pela organização Cobra.

O primeiro ato é impossível de engolir, já que temos um personagem “infiltrado” numa gangue (não é o Snake Eyes), mas que depois o roteiro sem perceber revela que o chefe já o conhecia. E essa cratera de falta de lógica é justamente o que dá o impulso para os dois atos seguintes. Só engolindo a seco a incompetência do roteiro que o espectador conseguirá prosseguir.

Os dois atos seguintes recaem em lugares comuns. O diretor Robert Schwentke da malfadada série “Divergente” (que nunca teve um fim) fez uma produção menos épica, com cenas de ação questionáveis, alguns elementos sobrenaturais meio fora de contexto e vilões estereotipados.

Para os fãs da série de brinquedos da Hasbro que já teve HQ, desenhos (ótimos por sinal) e filmes (nem tanto), os pontos bons acontecem a partir do meio da história quando conhecemos pelo menos dois rostos muito conhecidos desse universo e da cena pós créditos quando vemos nascer um arquivilão também bastante familiar. Só que é muito mais uma questão cultural da série do que um mérito do roteiro e da direção.

Henry Golding e elenco não parecem à altura, com o protagonista fazendo apenas expressões padrão do seu manual de atuação que está longe de vestir corretamente o personagem. Ah, ainda tem os créditos finais tão malucos que arrisca dar um ataque epilético nos menos preparados.

Snake Eyes” escancara a porta para uma nova continuação, a qual se mantiver o mesmo nível, será tão esquecível quanto este.

Ficha Técnica

Elenco:
Henry Golding
Andrew Koji
Haruka Abe
Takehiro Hira
Eri Ishida
Iko Uwais
Peter Mensah
Úrsula Corberó
Samara Weaving
Samuel Finzi
Steven Allerick
Max Archibald
Simon Chin

Direção:
Robert Schwentke

Produção:
Lorenzo di Bonaventura
Brian Goldner
Erik Howsam

Fotografia:
Bojan Bazelli

Trilha Sonora:
Martin Todsharow

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑