tick, tick…BOOM!

Como já havia dito, 2021 está sendo o ano dos musicais. E musical, apesar de ter alguns pilares principais, não precisa ter fórmula.

Irônico que um musical como “Annette” que tinha tudo para dar certo em sua abordagem inovadora afundou e este “Tick Tick… BOOM!” que praticamente é uma mistureba de várias abordagens juntas, conseguiu ficar muito acima da média.

É uma biografia do compositor e escritor de peças Jonathan Larson ganhador de três Tony Awards e conhecido pela sua peça da Broadway “Rent”, a qual gerou uma série de adaptações.

Primeiramente ele é interpretado com maestria pelo nosso “Homem-Aranha” Andrew Garfield. Mesmo para quem não conhece o verdadeiro Larson, na hora em que vídeos reais dele aparecem nos créditos finais, chega a ser surpreendente a semelhança física, dos trejeitos e maneirismos e, claro, do figurino.

Mas não precisava: Garfield está num carisma só como o Jonathan garçom de uma lanchonete que batalha para escrever uma peça que valha a pena na década de 90, num conflito de interesses com a namorada Susan (Alexandra Shipp de “O Pai da Noiva 3”) numa Nova York assolada pela AIDS que vem levando alguns de seus grandes amigos.

Quem estréia na direção é o musicista, escritor, compositor, teatrólogo, ator multifacetado Lin-Manuel Miranda que escreveu e ajudou na grande maioria dos musicais da Broadway e off-Broadway (inclusive “Rent”) e que pode ser visto no também musical “O Retorno de Mary Poppins”.

Ele não se prendeu a regras e fez um musical dentro de um musical, pois a história de Larson é contada pelo próprio num musical dele mesmo – o chamado “Tick Tick… BOOM” – e que grande parte dela é ele tentando fazer seu primeiro musical chamado “Superbia” emplacar. Então vemos cenas cantadas no musical dele, dentro da história do musical e no seu primeiro musical, como numa espécie de “inception”. Além disso, o estilo de cada canção se apresenta de forma diferente, seja na coreografia, muitas vezes preterida em prol da letra, mas principalmente com um toque de urbanização que toca na essência da história contada.

Com praticamente todo o elenco cantando – e muitos deles vindos do teatro e que trabalharam com o diretor antes – o destaque fica, lógico, para Garfield que passou um ano em aulas de canto e música para aprender a atingir aquelas notas com maestria, mas também para o dueto de Alexandra Shipp e Vanessa Hudgens que volta a seus tempos de “High School Musical” e se coloca como uma ótima cantora, principalmente na música que Larson peleja tanto para escrever e que só sai no último ato.

Tick Tick… BOOM!” é um filme de pessoas, de conexão e de sentimento e que tem a música como base, um excelente design de produção e uma direção certeira de quem não só entende do assunto como também de quem estava presente quando toda história aconteceu.

Curiosidades:

– Os garçons da lanchonete, colegas de Larson são todos do casting original da peça Rent. E o cozinheiro é o próprio diretor Lin-Manuel Miranda. Vanessa Hudgens também fez a protagonista em algumas das adaptações de Rent para o teatro.
– O diretor Lin-Manuel Miranda se apaixonou pela atuação de Andrew Garfield no teatro e então ligou para um amigo em comum para perguntar se ele sabia cantar, pois o queria como protagonista desse musical. O amigo disse que Garfield sabia sim. Logo depois esse mesmo amigo ligou para Garfield perguntando se ele sabia cantar.
– O musical para teatro original “Tick Tick… BOOM!” é um monólogo. Em 2001 foi adaptado para 3 pessoas. E no filme aparece com mais pessoas e uma banda.
Vários artistas de outros musicais de Lin-Manuel Miranda (como “Hamilton” Disney+) aparecem fazendo participação no filme.
– O melhor amigo de Larson no filme pega AIDS e o filme termina sem mostrar o que acontece com ele. Ocorre que a pessoa no qual o personagem foi inspirado está vivo até hoje e muito bem de saúde com o tratamento moderno que é ministrado atualmente.
– Uma das cenas é feita em frente da casa que foi um dia de Jonathan Larson.
– A lanchonete onde Larson trabalha no filme é exatamente a mesma em que Mary Jane trabalhou no filme do “Homem-Aranha”, só que quando o intérprete era o Tobey Maguire.
– O filme cita quando Larson e seu amigo eram adolescentes e interpretaram no colégio a peça “Amor Sublime Amor”. Coincidentemente esse ano Steven Spielberg fez uma adaptação para o cinema que deve ser forte concorrente desse musical nas premiações. Além disso, alguns artistas da peça também fazem participação no filme.
– O famoso teatrólogo Stephen Sondheim é interpretado no filme por Bradley Whitford de “O Chamado da Floresta”. Só que o ator estava indisponível para refilmagens e uma delas era a cena em que Sondheim gravava um recado de voz na secretária eletrônica de Larson. O próprio Stephen Sondheim se prontificou em fazer a gravação e, inclusive, reescreveu seu texto para parecer mais verossímil. Infelizmente Stephen Sondheim faleceu um dia antes da estréia deste filme. Uma bizarra coincidência com a morte do próprio Larson por AVC que se deu 1 dia antes da estréia de Rent no teatro.

Ficha Técnica

Elenco:
Andrew Garfield
Alexandra Shipp
Robin de Jesus
Vanessa Hudgens
Joshua Henry
Bradley Whitford
Jonathan Marc Sherman
Michaela Jaé (MJ) Rodriguez
Ben Levi Ross
Judith Light
Laura Benanti
Danielle Ferland
Micaela Diamond
Utkarsh Ambudkar
Gizel Jimenez
Kate Rockwell
Aneesa Folds
Joel Perez
Anna A. Louizos
Robyn Goodman
Judy Kuhn
Danny Burstein
Lauren Marcus
Richard Kind
Tariq Trotter

Direção:
Lin-Manuel Miranda

Produção:
Brian Grazer
Ron Howard
Lin-Manuel Miranda
Julie Oh

Fotografia:
Alice Brooks

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑