Turn the River (EUA, 2007) ***INÉDITO NO BRASIL***

Genre :

[youtube SWnmDRM0e18]

Famke Jansen (“Refem de Espírito“) é Kailey, uma mulher viciada em jogo, fumante inveterada e que bebe até cair. E essa é a heroína do filme. Por ordem judicial ela não pode chegar perto de seu filho, que mora com o pai (Matt Ross de “O Aviador“) casado novamente. O menino se comunica com ela através de cartas e de encontros furtivos esporadicamente. Para ter seu filho de volta ela bola um arriscado plano de fugir para o Canadá com ele, através de documentação falsa, no preço de U$ 60mil dólares. E ela pretende ganhar tudo num jogo de bilhar com a ajuda de um amigo (Rip Torn de “Maria Antonieta“).

É o caso de um drama com ótimos elementos, porém com um roteiro irregular permeando-os. Já começa que seria difícil torcer para que alguém totalmente incapacitada de criar um filho tivesse êxito. E não há nada que prove o contrário, além do simples – e quase irracional – desejo de Kailey de tê-lo com ela. Mas é aí que o roteirista joga sujo: ele coloca o pai também como um vilão da história, fazendo-o um religioso fervoroso, mas que tem problemas com a bebida e, de alguma forma que a narrativa não se dá ao trabalho de explicitar, não sente afeto pelo filho. Sem contar que a atuação de Matt Ross é bem caricata e esquemática, enfraquecendo ainda mais esta já frágil trama secundária. E aqui nem se leva em consideração a dificuldade que seria ganhar todo aquele dinheiro em uma noite jogando bilhar.

Se não fosse a força e o carisma de Famke Jansen (em seu pior momento ela continua linda), talvez “Turn the River” não passaria de um drama hipócrita. Além disso, a sua química com Rip Torn consegue surpreender, já que este tem uma bagagem e experiência capaz de fugir do usual. O diretor Chris Eigeman, o qual já atuou ao lado de Jansen no chatíssimo “Divã do Amor“, perde muitas boas oportunidades e faz uma obra que só encontra força mesmo em seus dois personagens principais, entrega um desfecho dúbio e, mesmo que seja um pouco forte (mas só um pouco), não é suficiente para produzir o resultado esperando de algo do gênero: emoção verdadeira.

[rating:2.5]


Ficha Técnica

Elenco:
Famke Janssen
Jaymie Dornan
Rip Torn
Matt Ross
Lois Smith
Marin Hinkle

Direção:
Chris Eigeman

Produção:
Ami Armstrong

Fotografia:
Hernan Michael Otaño

Trilha Sonora:
Clogs

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑