Os Incríveis 2 (“Incredibles 2”)

A Pixar conseguiu novamente. Além de “Toy Story“, essa talvez seja a continuação que é tão bom ou melhor que o original, além de conciliar cenas de pura ação com a comédia e um estudo de personagens.

Lembrando que a história se passa na década de 60, vemos que os super-heróis se tornaram ilegais e a família Incrível quase que fica sem saída a não ser procurar um emprego de verdade. É quando entra em cena o milionário Winston e sua irmã Evelyn, dois empresários que querem revogar essa lei e usam a Sra. Incrível, Helen como garota propaganda enquanto seu marido Bob tem que ficar em casa cuidando das crianças.

Desde já vemos uma abordagem brilhante do empowerment feminino nos anos 60 sem ser necessariamente feminista, e essa inversão de papéis faz toda a diferença na narrativa (sem spoilers, isso inclui até os vilões). O roteiro mostra os problemas cotidianos de uma família num contexto de super-poderes e como eles são frágeis se não há a sintonia entre seus membros.

As cenas de ação são muito bem coreografadas e chegam a ser frenéticas, com destaque para aquelas envolvendo os portais provocados pela coadjuvante com super-poderes Void. Como sempre, a animação é impecável: em alguns momentos se tem a impressão de estar vendo um filme em live action ao invés de uma animação. Os próprios personagens têm peculiaridades detalhadas meticulosamente, desde a língua presa de Hellen, passando pelo cabelo despenteado de Evelyn ou pelos fiapos da blusa de Bob, entre outros. Além disso, essa minúcia dá ainda mais carisma aos personagens, enfatizando as suas personalidades. Um exemplo disso é quando o Sr. Incrível tenta esconder a raiva pela esposa ter sido escolhida para combater o crime enquanto ele deve ficar cuidando das crianças.

São tantos os artifícios e detalhes pensados para tornar a produção ainda melhor que seus defeitos ficam diluídos, mas existem: o cuidado com os detalhes foram tão intensos, mas ainda assim deixaram a história principal ser previsível, pois de cara os mais atentos vão perceber quem é o vilão principal e inclusive sua motivação e seu modus operandi, o que poderia ser melhor escondido.

Os Incríveis 2” é uma animação de muitas camadas dramáticas que abraçam todas as faixas etárias, indo desde a ação de super-herói até uma comédia de costumes e estudos de personagens e é com essa profundidade e perfeccionismo que a Pixar é o que é hoje.

Curiosidades:

– Animação mais longa da Pixar e mais longa da história das animações.
– Na cena noturna da cidade, foi feita uma homenagem a Gothan City e no céu dá pra ver a logomarca do Batman por entre as nuvens.
– Para reforçar que o filme se passa na década de 60, os dois programas que se vê na televisão são o desenho Johnny Quest (1964) e a série A Quinta Dimensão (1963).
– A dublagem dos personagens demorou 2 anos para ser finalizada.
– O hotel que a família fica (Safari Court) existe de verdade, tem o nome de Safari Inn, fica próximo de Hollywood e é comummente usado como set de vários filmes.
– Há uma cena em que um personagem fala ao telefone e digita o código de área 510. É o código de Emmerville, California onde ficam os estúdios da Pixar.
– Há uma cena em que Bob reclama que é difícil ensinar o filho essa “nova matemática”. É que na década de 60 houve uma mudança radical na abordagem docente do ensino de exatas, a qual é feita até hoje.
– A dubladora de Hellen (Sra. Incrível) é mais nova que a dubladora de sua filha Violet.
– Quando Os Incríveis chegam na nova casa, é dito que ela pertenceu a um bilionário que não gostava de ser visto entrando e saído e por isso ela tinha várias passagens secretas. Alguém ouviu Bruce Wayne / Batman?
– Há uma cena pós créditos.
– Marcas registradas dos filmes da Pixxar (Easter Eggs):
–> No cinema o filme que está passando tem o título de A113 que é a sala onde os fundadores da Pixar estudaram na universidade. O número também aparece na placa do trem que se desgoverna.
–> Os padrões da tela hipnótica desenham por uma fração de segundo um Mickey.
–> A bola do primeiro longa metragem da PIxar, Luxo, aparece no berço de Jack Jack.

Ficha Técnica

Elenco:
Craig T. Nelson
Holly Hunter
Sarah Vowell
Huck Milner
Catherine Keener
Bob Odenkirk
Samuel L. Jackson
Michael Bird
Eli Fucile
Sophia Bush
Brad Bird
Phil LaMarr
Isabella Rossellini
Adam Gates
Jonathan Banks

Direção:
Brad Bird

Produção:
Nicole Paradis Grindle
John Walker

Fotografia:
Mahyar Abousaeedi
Erik Smitt

Trilha Sonora:
Michael Giacchino

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑