Vício Frenético (“Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans”, EUA, 2009) ***NOS CINEMAS***

Genre :

[youtube w-nopVTcRAc]

Depois de tantas bobagens como “A Lenda do Tesouro Perdido“, é bom que após o ótimo “Presságio“, Nicolas Cage tenha se engajado em outra obra de peso, mesmo sendo totalmente diferente de seu último trabalho. Dirigido por Werner Herzog do eficiente “O Sobrevivente“, ele faz uma livre refilmagem do filme homônimo de 1992.

Cage é o detetive Terrence, um provável corrupto com métodos pouco ortodoxos que, ao salvar um prisioneiro durante o furacão Katrina, tem uma série contusão nas costas que o leva a uma dependência de analgésicos, seguida de drogas mais pesadas. Um ano depois ele já é viciado em todas as drogas possíveis – de cocaína a crack – e com perigosas dívidas vindas do jogo, além de cometer abusos de autoridade para conseguir (leia-se roubar) dinheiro e drogas.

Namorando com a prostituta Frankie (Eva Mendes que volta a trabalhar o Cage depois de “Motoqueiro Fantasma“), ele é nomeado para investigar um caso de assassinato, porém todos os seus problemas e o pico de vício pelo qual passa pode comprometer a missão e colocar sua vida em risco.

Muitas vezes rotulado de canastrão, o protagonista encontra uma genial forma de personificar o tão complexo personagem. Por exemplo, como ele sempre anda meio torto e seu esforço para atividades aparentemente simples como levantar de uma cama, mostrando-se como detalhes essenciais pra sua credibilidade de um papel que exige desequilíbrio físico e emocional. Seus altos e baixos, isto é, sua bipolaridade entre surtos de alegria e depressão tão são caracterizados de forma bastante sincera.

Quanto aos coadjuvantes Eva Mendes não sai do básico, o decadente Val Kilmer (“Alexandre“) mostra que ainda sabe atuar, como o parceiro ainda mais corrupto de Terrence, mas que infelizmente sai apagado por conta do roteiro; e a geralmente cômica Jennifer Coolidge (a eterna “mãe do Stiffer” de “American Pie” e também presente em “Deu a Louca em Hollywood“) surge como uma ótima surpresa num papel dramático.

Agora o grande mérito do diretor, é tornar uma obra com um tema tão pesado e repugnante, num longa divertidíssimo sem nunca poder ser categorizado como uma comédia. Algumas atrocidades cometidas por Terrence, como uma série de abusos, provoca um sorriso na boca do espectador sem nunca tirar-lhe a seriedade da situação. O que dizer da cena em que ele imagina como roubar drogas do deposito da polícia ou no interrogatório ameaçador de duas velhinhas ou ainda a já antológica cena do par de iguanas?

Outro fator que ajuda muito na afinidade com a produção é perceber que Terrence, com todos os seus desvios de conduta, é um homem fundamentalmente bom. Tanto, que é surpreendente a maneira improvável que ele usa para a resolução de alguns dos seus problemas no último ato, inclusive o caso principal.

Com um desfecho que chega a ser depressivamente poético, “Vício Frenético” se torna uma ótima opção para um público selecionado e também para as grandes massas, ou seja, todos que podem ver as bizarrices de Herzog e um pouco de sua metalinguagem presentes como um excelente thriller policial, bem como um drama pessoal.

[rating:4]


Ficha Técnica

Elenco:
Nicolas Cage
Eva Mendes
Val Kilmer
Fairuza Balk
Jennifer Coolidge
Brad Dourif
Michael Shannon
Denzel Whitaker
Shea Whigham
Shawn Hatosy
Xzibit

Direção:
Werner Herzog

Produção:
Stephen Belafonte
Nicolas Cage
Alan Polsky
Gabe Polsky
Edward R. Pressman
John Thompson

Fotografia:
Peter Zeitlinger

Trilha Sonora:
Mark Isham

 

1 Comment

Leave us a comment

  • silvio3611
    on

    Assisti ontém, o filme é perfeito,pelo menos pra mim, Nicolas Cage ao lado de Johnny Depp são os melhores atores dos últimos tempos.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑