King’s Man: A Origem (“King’s Man”)

A primeira coisa a saber desse spin-off que mostra a origem da agência vista nos dois ótimos “Kingsman” (o primeiro principalmente) é que este é um filme completamente diferente em teor, essência, ritmo e tom de narrativa, mesmo sendo dirigido pelo mesmo Matthew Vaughn apesar de contar com algumas cenas de ação muito bem produzidas, tanto quanto nos demais. Quem espera algo similar ao que foi visto nas outras partes – que se passam no futuro – talvez se decepcione um pouco.

Ralph Fiennes que também é do MI-6 do 007, aqui é Orlando Oxford, espião do Rei em 1914 que se vê às voltas com o início da Primeira Guerra Mundial, mas ao mesmo tempo quer proteger seu filho único Conrad (Harris Dickinson de “Malévola 2”) de qualquer atividade arriscada. Ele reluta, mas não tem jeito: reúne com mais dois pseudo-criados, Shola (Djimon Hounsou de “Um Lugar Silencioso 2”) e Gemma Arterton (que já foi Bond Girl em “Cassino Royale”!) e partem para descobrir o misterioso inimigo que está articulando a guerra junto a seus lacaios.

O primeiro ato é puro drama, muito mais do que ação e que define a dinâmica de proteção que Orlando tem com o filho, o qual quer servir à sua pátria na guerra. Só que é moroso e os conflitos se repetem ao longo do filme, pelo menos até a metade onde, confesso, começa a grande surpresa que dará início – aí sim – à ação propriamente dita, mesmo já tendo passado alguns ótimos momentos.

Um dos grandes pontos narrativos é que o roteiro usa a história real da Primeira Guerra como elementos de propulsão da trama (mais detalhes nas curiosidades) o que a torna mais rica, tal qual “X-Men – Primeira Classe” dirigido pelo mesmo Matthew Vaughn.

Contudo, o entretenimento por conta das cenas de ação é bom, mas não tão épico quanto os seus antecessores. Muito se parece mais uma confusão interna dentro do círculo dos heróis do que batalhas mais engatadas com os inimigos. E pior: gastam muito tempo nessa confusão. O início do clímax com o avião no morro alto é um exemplo de algo que tem ação, é engraçado, mas pouco agrega na trama.

No desfecho tudo caminha para uma continuação com mais ação e mais essência onde deve se estabelecer um novo protagonista.

“King’s Man: A Origem” tem algumas boas surpresas, mas um ritmo que não ajuda muito e parece ter dois papéis importantes: colocar marcos históricos como pontos chave de suas tramas e pavimentar o caminho para a continuação.

Ah, e tem cena pós créditos importante.

Curiosidades:

– O Presidente dos EUA toma Whisky da marca Statesman que é a marca feita pela agência análoga do filme nos EUA. Ou seja, ou a agência americana foi fundada primeiro, ou houve um pequeno erro de cronologia, já que na segunda parte de “Kingsman” flertam com a possibilidade da agência britânica ter dado original à americana.
– O filme foi lançado com mais de 2 anos de atraso por causa da pandemia.
– 2/3 da equipe original do Kingsman já esteve na franquia 007 (Ralph Fiennes e Gemma Arterton).

SPOILER! SÓ LEIA DEPOIS DE TER VISTO O FILME!

– A maioria dos fatos históricos do filme são verdadeiros. A saber:
– Houve sim uma primeira tentativa de matar o Duque Ferdinando com bomba no seu carro. Posteriormente ele junto com sua comitiva estavam de carro por uma rua sem saída quando o assassino Gavrilo Princip estava num café e quando viu acena se prontificou a atirar, matando o duque e sua esposa.
– O General Kitchener realmente existiu e morreu durante a primeira guerra quando seu submarino foi pego por uma mina alemã.
– O destino dos líderes da Inglaterra, Alemanha e Rússia são verdadeiros, inclusive a mudança do sobrenome do monarca inglês para Widsor.
– Rasputin sofreu sim tentativa de envenenamento com cianureto, mas não funcionou e daí acabou sendo morto com um tiro. Lógico que não pelos nossos heróis do filme.

Ficha Técnica

Elenco:
Ralph Fiennes
Djimon Hounsou
Gemma Arterton
Rhys Ifans
Matthew Goode
Charles Dance
Daniel Brühl
Tom Hollander
Aaron Taylor-Johnson
Stanley Tucci
Alexandra Maria Lara
Alexander Shaw
Bevan Viljoen
Harris Dickinson
Valerie Pachner
Joel Basman
Todd Boyce
Ian Porter
Simon Connolly
Alexander Cobb
Emun Elliott
James Backway
Cassidy Little
Neil Jackson

Direção:
Matthew Vaughn

Produção:
Adam Bohling
David Reid
Matthew Vaughn

Fotografia:
Ben Davis

Trilha Sonora:
Dominic Lewis
Matthew Margeson

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑