Mãe e Pai (“Mom and Dad”)

Dá série “filmes esquisitos com Nicolas Cage” (tipo todos os últimos dele), este tinha potencial partindo de uma interessante premissa: os animais têm uma prerrogativa biológica de proteger seus filhos a qualquer custo. O que aconteceria se essa prerrogativa se invertesse e eles passassem a querer incessantemente matá-los?

Nicolas Cage de “Prisioners of the Ghostland” e Selma Blair de “After” são os pais de Carly (Anne Winters de “A Hora de Sua Morte”) e Josh (“A 5ª Onda”) e são pegos nessa inexplicável onda que faz os pais enlouquecerem. Então Carly e Josh precisam escapar dos próprios pais e se salvarem.

O diretor Brian Taylor que, pasmem, já foi da Marvel pré-MCU dirigindo “Motoqueiro Fantasma” na época em que Nicolas Cage ainda figurava no time A de Hollywood, até começou bem aqui criando uma atmosfera de tensão, mas a partir do fim do primeiro ato conseguiu perder todas as oportunidades de tornar a história diferenciada.

As duas maiores oportunidades perdidas são: primeiro o conflito da personagem de Blair sobre o impulso de matar seus filhos. Esse conflito brota na sequência do hospital e parece formar um interessante arco dramático, quando simplesmente o roteiro joga fora e parece que nunca houve.

A segunda oportunidade é de fazer um filme mais trash com cenas mais gráficas de violência, o que seria disruptivo e perturbador, pois estamos falando de pais e filhos. Ao contrário, todas as cenas de violência (ou quase todas) ficam implícitas e longe dos olhos do espectador, o que dilui inclusive o efeito psicológico do conflito. O último ato tem seus bons momentos, mas ainda fica devendo.

Quem adora ver Nicolas Cage surtado como sempre, dessa vez vai ter a chance de vê-lo assim com uma ótima justificativa. Pena que – por motivos óbvios – ele apareça em tela menos do que poderia.

Mãe e Pai” teve um filmaço entregue de bandeja que não soube aproveitar. Agora é esperar alguém mais competente fazer algo parecido. Mas fica a dica para os fãs do Nicolas Cage surtado.

Curiosidades:

– A sequência onde um personagem dá um cavalo de pau num carro com uma mulher em seu colo foi filmada para dois filmes: este e para um episódio da série “Happy!” dirigida pelo mesmo Brian Taylor.
– Há uma cena em que um professor faz uma pergunta, ninguém responde e ele manda “Alguém? Bueller?”. Esse Bueller é uma homenagem a Ferris Bueller, personagem principal do clássico da comédia “Curtindo a Vida Adoidado” de 1986.

Ficha Técnica

Elenco:
Nicolas Cage
Selma Blair
Anne Winters
Zackary Arthur
Robert T. Cunningham
Olivia Crocicchia
Lance Henriksen
Marilyn Dodds Frank
Samantha Lemole
Joseph D. Reitman
Rachel Melvin
Bobby Richards
Sharon Gee
Edwin Lee Gibson
Brionne Davis
Mehmet Oz
Grant Morrison
Adin Steckler
Cassidy Slaughter-Mason

Direção:
Brian Taylor

Produção:
Tim Zajaros

Fotografia:
Daniel Pearl

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑