Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story by Martin Scorsese

Conhecer Bob Dylan é conhecer o florescimento da cultura folk junto com o rock na década de 60 que inspirou praticamente todos os artistas do segmento e muitos fora dele. Bob Dylan continua sendo uma espécie de Raul Seixas elevado à décima potência de relevância cultural com músicas como “Like a rolling stone” e “Knocking on heaven’s door” (sorry, não é do Guns’n’Roses).

O diretor premiadíssimo Martin Scorsese de “Silêncio” resolveu pegar um curta metragem feito na icônica tour Rolling Thunder Revue de 1975 e fazer um documentário com novas entrevistas de membros, cantores, empresários e jornalistas que participaram dessa jornada, inclusive o próprio Bob Dylan.

A tour acontece no bicentenário americano e num momento sócio-político bastante conturbado. Scorsese vai do macro ao micro, pegando o contexto que influenciou o cenário americano, até o intimismo da dinâmica entre os membros do show e sua relação com Dylan. Tudo intercalado com trechos dos vários shows com músicas que já fazem parte do imaginário americano, além das performances mais que enigmáticas do artista que parece um mistério para todos incluindo quem tocava ao seu lado.

Tanto que novos depoimentos chegam até a contrariar o sentimento que emanava da época. Personagens famosos se uniram com curiosidades envolvendo cantoras como Patti Smith e Joan Baez que o acompanharam, o poeta e guru da banda Allen Ginsberg (cuja juventude foi retratada no documentário “Uivo”) e até mesmo o maluco beleza e ator de Hollywood, o saudoso Sam Shepard de “Destino Especial”, bem como uma ainda adolescente Sharon Stone (“Alpha Dog”) que desde cedo já provava que tinha um instinto fatal (sem trocadilhos).

Finalmente dá pra conhecer as músicas que são uma viagem como “Mr. Tambourine Man” ou “The Lonesome Death of Hattie Carroll”. Mesmo sendo uma ótima peça de cinema e música, esse documentário não é para todos, pois é preciso a) gostar de Bob Dylan ou b) ter a mente aberta para conhecer – ou absorver – um momento cultural contemporâneo bem diferente do atual. Não é para arriscar, mas quem for ver consciente, vai ter uma experiência do nível do protagonista.

Curiosidades:

SPOILER – LEIA APENAS DEPOIS DE ASSISTIR AO FILME!!!

– O dito cineasta do curta metragem Stefan van Dorp não existe. Ele é apenas um elemento cênico e é interpretado pelo marido da atriz Bette Midler, Martin Von Haselberg. Sendo assim, muitas partes das entrevistas que citam o personagem fictício foram encenadas. Bette Midler aparece rapidamente numa festa de Dylan.
– A própria subtrama e entrevista com um senador da época foi encenada. O personagem é interpretado pelo ator Michael Murphy de “Encontros e Desencontros”.

Ficha Técnica

Elenco:
Bob Dylan
Allen Ginsberg
Patti Smith
Martin von Haselberg
Scarlet Rivera
Joan Baez
Roger McGuinn
Larry ‘Ratso’ Sloman
James Gianopulos
Ramblin’ Jack Elliott
Sam Shepard
David Mansfield
Sharon Stone
Ronnie Hawkins
Anne Waldman

Direção:
Martin Scorsese

Produção:
Margaret Bodde
Jeff Rosen

Fotografia:
Howard Alk
Paul Goldsmith
Ellen Kuras
David Myers

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑