Na Mira do Atirador (“The Wall”)

Genre : ,
Actor : ,
Country :
Release Date : 2017

Nunca um título em português foi tão certeiro como sinopse. Aaron Taylor-Johnson (“Animais Norturnos”) e John Cena (“Assassino a Preço Fixo 2”) são dois soldados americanos no Iraque que se encontram encurralados atrás de um muro na mira de um atirador de elite iraquiano que começa a fazer jogos mentais com eles.

Esse é o exato mesmo conceito de “Campo Minado” (leia a crítica desse filme pra verificar outros filmes com esse contexto) sobre o(s) protagonista(s) confinados num espaço limitado com suas vidas ameaçadas e definitivamente vai dividir opiniões. Não pela premissa em si, mas pelo modo que foi conduzido.

Explico: o filme é bom, mas não se “vende”. Há duas maneiras de se vender o filme: uma é no marketing em si, como trailers, featurettes, etc; e a outra é no próprio filme com o enfoque de torna-lo mais comercial ou não. E nesta última forma é que reside o problema: “Na Mira do Atirador” quer ser um filme comercial, mas a direção de Doug Liman (“No Limite do Amanhã”) parece tomar as decisões que jogam contra o roteiro e no caminho inverso desse intento. Não que não querer ser comercial não seja bom. Pelo contrário. O que atrapalha é um roteiro comercial e uma direção que navega pelo lado oposto.

No embate mental entre Isaac (Johnson) e o atirador, sempre que eles iniciam uma discussão filosófica interessante, esta é cortada por algum outro evento, deixando todos os temas tratados superficialmente. E não são poucos: o conceito de quem são os vilões e os mocinhos, partindo do princípio que os EUA que invadiram o Iraque, quem quer ser o dono da economia do petróleo gerada no Iraque, o que leva um soldado é fazer repetidos tours na guerra, como erros fatais afetam a psique de um soldado e qual a origem do próprio muro (que dá o título original ao filme) onde Isaac se esconde e finalmente qual a estratégia do atirador para causar o maior número de mortes inimigas possível – que talvez seja a grande reviravolta do filme no último ato. Tirando este último tema, todos os demais são entrecortados por uma ação que não se justifica e parece apenas querer dar uma pausa num assunto para começar outro, de forma a tentar abraçar vários temas interessantes da guerra em quase 90 minutos de projeção.

Daí temos que contar muito com o desempenho do ator Aaron Taylor-Johnson, o qual é o grande destaque por ter incorporado tão bem um papel tão sofrido. O desfecho também é bom, apesar de previsível e com alguns furos meio gritantes (não dá pra dizer se não entrego o final). Destaque para a ausência completa de trilha sonora durante o filme.

Na Mira do Atirador” serve a um nicho bem específico de cinéfilos que podem gostar do enfoque dado à produção, a qual parece que nem diretor, nem roteiro parecem saber qual é, e por pouco não afunda.

Curiosidade:

– O atirador iraquiano Juba, é baseado num personagem real, o qual também aparece no filme “Sniper Americano” sob o nome de Mustafa.

Ficha Técnica

Elenco:
Aaron Taylor-Johnson
John Cena
Laith Nakli

Direção:
Doug Liman

Produção:
David Bartis

Fotografia:
Roman Vasyanov

 

1 Comment

Leave us a comment

  • Juliano
    on

    Muito bom, mais um filme que assisti graças a sua ótima crítica.
    Gostei muito do filme, minha nota seria 4 ou 4,5 estrelas mas tenha a tendência de gostar dos filmes que se passam em espaços limitados (conforme citados na crítica).
    Muito obrigado 🙂

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑