Magnatas do Crime (“The Gentlemen”)

Meu avô sempre dizia para não comer pratos que não fossem a especialidade de determinado restaurante. O diretor Guy Ritchie parece ter aprendido a lição. Sua carreira oscilou fortemente quando saiu de seu metiê que é o subgênero de filme de gangster. Mesmo com bons filmes como “Aladdin” da Disney e “Rei Arthur”, nada se compara com essa ótima volta à sua essência.

Como todas as suas histórias cartunescas de máfia, essa também é um entremeado de acontecimentos que vão convergir para reviravoltas e um ótimo clímax. O repórter investigativo Fletcher (Hugh Grant da saga “Quatro Casamentos e Um Funeral”) aparece na casa de Ray (Charlie Hunnam de “Papillon”), braço direito do rei do tráfico de maconha no Reino Unido, Michael (Matthew McConaughey de “Levando a Vida Numa Boa”).

Os dois travam uma conversa onde Fletcher explica toda uma intrincada trama que pode levar ao assassinato do chefe de Ray – a maior parte do filme é a reconstituição de todos esses fatos – e faz uma chantagem: ou ele recebe milhões do mafiosos ou põe a história na imprensa, o que também pode arruinar o reinado de Michael e a carreira de Ray.

O diretor faz o que ele sabe melhor:

– Mistura a narrativa figurativa com elementos físicos (a cena em que Fletcher compara o cinema com a TV e a tela se comprime e expande é ótima, ou quando eles vêem um vídeo onde cada um deve dublar o personagem do próprio filme);
– Desenvolve personagens que seriam improváveis no mundo real, mas com tantos toques de realismo que o espectador compra a idéia (a feminilidade de Flecther; o TOC de Ray, a persona do Coach, excelente participação de Colin Farrell de “Dumbo”);
– E finalmente coloca reviravolta atrás de reviravolta, sempre conservando a inteligência do roteiro.

O elenco está perfeito e todos desempenhando com garra e leveza seus papéis, onde cada coadjuvante tem a importância e relevância correta.

Magnatas do Crime” é pura diversão com altos toques de sarcasmo, violência e inteligência, o que coloca mais uma vez o diretor Guy Ritchie em sua melhor forma.

Curiosidades:

– A marca de cerveja que Michael toma no bar no início do filme é Gritchie, cujo dono é ninguém menos que o diretor Guy Ritchie (G-Ritchie, sacaram?). E o pub da cena também é dele em sociedade com o jogador David Beckham.
– Ritche é tão multifuncional que foi ele que desenhou o mandou construir a churrasqueira de Ray, que desempenha um importante papel ao longo do filme.
– Há uma cena em que um personagem aparece na sala de um produtor de um estúdio de cinema Miramax. Esse é o estúdio que produziu esse filme. E nessa sala há o poster de “O Agente da U.N.C.L.E.”, filme dirigido por Guy Ritchie.
– As roupas de Ray não fizeram parte do figurino normal, mas sim foram compradas pelo diretor e pelo ator num passeio pelo shopping de Londres.
– Um ladrão roubou o script de Hugh Grant de seu carro com todas as suas anotações na véspera das filmagens e então o ator teve que interpretar tudo sem ele. Apesar de estar em todo o filme praticamente, suas cenas demoraram apenas 5 dias para serem filmadas.
– O nome do personagem de Hugh Grant, Fletcher, é uma homenagem ao icônico e cômico personagem Irwin Flecther, jornalista investigativo vivido pelo comediante Chevy Chase na década de 80.
– A cena do confronto final entre Michael e seu antagonista é baseado na obra de Shakespeare “O Mercador de Veneza”.

Ficha Técnica

Elenco:
Matthew McConaughey
Charlie Hunnam
Hugh Grant
Michelle Dockery
Jeremy Strong
Colin Farrell
Eddie Marsan
Henry Golding
Lyne Renée
Tom Wu
Chidi Ajufo
Simon R. Barker
Jason Wong

Direção:
Guy Ritchie

Produção:
Ivan Atkinson
Bill Block
Guy Ritchie

Fotografia:
Alan Stewart

Trilha Sonora:
Christopher Benstead

 

No Comments

Leave us a comment

No comment posted yet.

Leave a Comment

↑ BACK TO THE TOP ↑